Quarta-feira da segunda semana da Quaresma

Hoje é dia vinte e oito de fevereiro, quarta-feira da segunda semana da Quaresma.

Os salmos e os escritos dos profetas
estão repletos de pedidos de auxílio
diante de situações de perseguição, armadilha e morte.
Não se trata de simples metáforas: 
na nossa vida somos confrontados
com o perigo de um limite transposto,
seja num casamento rompido, num amigo afastado,
num pedido rejeitado.
Que a oração seja para ti essa luz e esse alerta
que permitam, através do teu clamor,
manter sempre abertas as portas do teu coração
e dos teus irmãos.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 20, 17-28].

Enquanto Jesus subia para Jerusalém,
chamou à parte os Doze e durante o caminho disse-lhes:
«Vamos subir a Jerusalém e o Filho do homem vai ser entregue
aos príncipes dos sacerdotes e aos escribas,
que O condenarão à morte e O entregarão aos gentios,
para ser por eles escarnecido, açoitado e crucificado.
Mas ao terceiro dia Ele ressuscitará».
Então a mãe dos filhos de Zebedeu
aproximou-se de Jesus com os filhos
e prostrou-se para Lhe fazer um pedido.
Jesus perguntou-lhe: «Que queres?»
Ela disse-Lhe: «Ordena que estes meus dois filhos
se sentem no teu reino um à tua direita e outro à tua esquerda».
Jesus respondeu: «Não sabeis o que estais a pedir.
Podeis beber o cálice que Eu hei de beber?»
Eles disseram: «Podemos».
Então Jesus declarou-lhes: «Haveis de beber do meu cálice.
Mas sentar-se à minha direita e à minha esquerda
não pertence a Mim concedê-lo;
é para aqueles a quem meu Pai o designou».
Os outros dez, que tinham escutado,
indignaram-se com os dois irmãos.
Mas Jesus chamou-os e disse-lhes:
«Sabeis que os chefes das nações exercem domínio sobre elas
e os grandes fazem sentir sobre elas o seu poder.
Não deve ser assim entre vós.
Quem entre vós quiser tornar-se grande seja vosso servo
e quem entre vós quiser ser o primeiro seja vosso escravo.
Será como o Filho do homem,
que não veio para ser servido, mas para servir
e dar a vida pela redenção dos homens». 

 

A intenção da mãe seria, talvez, interceder pela carreira dos filhos. Jesus não a despreza, louva a generosidade dos seus apóstolos. 
E se fosse contigo? Estás disponível para que Jesus te corrija e ensine?

Cai na conta das tuas motivações em “subir na vida”, sabe-se lá à custa de quê e de quem. Purifica a tua intenção, sobretudo quando rezas e te dispões a cumprir o que Jesus te inspira. Pede a Deus um coração puro. 

Jesus conhece-te, porque te ama e te escolhe. Chama-te para que aprendas com Ele a servir e não a servir-te. A sua predileção é paciente. Não se cansa de ser misericordioso. Abre a tua vida à sua luz. 

Caminha na companhia de Jesus, em todas as situações, como se O visses presente em cada homem e mulher. Aproxima-te de quem sofre, como o Bom Samaritano. Pede ao Senhor o seu espírito de compaixão. 

 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.