Quarta-feira da terceira semana da Quaresma

Hoje é dia vinte e dois de março, quarta-feira da terceira semana da Quaresma. 

De Ludovico Einaudi, estás a escutar Le onde.

Diz-nos o salmista:
«Louva o Senhor, porque é bom cantar!
É agradável e é justo louvar o nosso Deus.
Ele cura os de coração atribulado
e trata-lhes das feridas.
Ele fixa o número das estrelas
e chama a cada uma pelo seu nome...»
O Senhor conhece-te, chama-te pelo teu nome,
é a ti que se dirige a sua Palavra.
Mesmo na tribulação, mesmo na ferida,
nunca deixes de cantar e de louvar:
é aí que reside o princípio da libertação.
Começa assim a tua oração. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 5, 17-19]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas;
não vim revogar, mas completar.
Em verdade vos digo:
Antes que passem o céu e a terra,
não passará da Lei a mais pequena letra
ou o mais pequeno sinal,
sem que tudo se cumpra.
Portanto, se alguém transgredir um só destes mandamentos,
por mais pequenos que sejam,
e ensinar assim aos homens,
será o menor no reino dos Céus.
Mas aquele que os praticar e ensinar
será grande no reino dos Céus». 

 

Pontos de oração

Os mandamentos são um caminho de santidade e crescimento. Não são uma obrigação sem sentido ou algo de rígido. São meios de libertação para amar mais e melhor, para ser mais evangélico. 
Aderes aos mandamentos com todo o teu coração? Procuras cumpri-los com amor e por amor, para cresceres em Deus e viveres uma quaresma mais plena de graça e de conversão?

Só é grande aos olhos de Deus quem pratica os mandamentos e ajuda os outros a cumpri-los. Foi assim a vida dos santos. Deve ser assim a tua vida: testemunho de alguém que, com amor, cumpre os mandamentos e cuja vida é estímulo para os outros. 
Sentes que a tua vida caminha por esta adesão aos mandamentos do Senhor? Vives com alegria cada um deles? 

Ouve com o teu coração, mais que com os teus ouvidos, a repetição da leitura do Evangelho de hoje.

 

Colóquio final

Pede a Jesus, com audácia e esperança, a graça de viver os mandamentos como Ele os viveu, vendo neles a vontade do Pai.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.