Quarta-feira da vigésima segunda semana do Tempo Comum

Hoje é dia seis de setembro, quarta-feira da vigésima segunda semana do Tempo Comum.

Pode a oração tornar-se
num momento de graça e reconciliação
que unifique o teu dia?
Hoje, começa o teu breve momento de paz
com o seguinte convite de Nicéforo,
um monge cristão do século treze:
«Há, irmãos, um imperativo que não podemos contornar. 
E que nos diz esse imperativo? 
Diz-nos que se nos impõe
um regresso de nós mesmos a nós mesmos.
Há um caminho de reconciliação e união com Deus:
esse caminho único começa, antes de mais nada,
por nos conduzir a nós mesmos».

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 4, 38-44]

Jesus saiu da sinagoga e entrou em casa de Simão.
A sogra de Simão estava com febre muito alta
e pediram a Jesus que fizesse alguma coisa por ela.
Jesus, aproximando-Se da sua cabeceira,
falou imperiosamente à febre,
e a febre deixou-a.
Ela levantou-se e começou logo a servi-los.
Ao pôr do sol,
todos os que tinham doentes com diversas enfermidades
traziam-nos a Jesus
e Jesus, impondo as mãos sobre cada um deles, curava-os.
De muitos deles saíam demónios, que diziam em altos gritos:
«Tu és o Filho de Deus».
Mas Jesus, em tom severo, impedia-os de falar,
porque sabiam que Ele era o Messias.
Ao romper do dia,
Jesus dirigiu-Se a um lugar deserto.
A multidão foi à procura d’Ele
e, tendo-O encontrado, queria retê-Lo,
para que não os deixasse.
Mas Jesus disse-lhes:
«Tenho de ir também às outras cidades
anunciar a boa nova do reino de Deus,
porque para isto fui enviado».
E pregava pelas sinagogas da Judeia. 

 

Pontos de oração

Da cura ao serviço. O verdadeiro milagre da nossa vida é passar de vivermos centrados em nós mesmos e nos nossos problemas, a colocarmo-nos ao serviço dos outros.
Que egoísmos ou problemas te prendem e impedem de servir? 

Jesus não Se deixa prender, regressa sempre ao caminho para ir ao encontro de quem ainda não O conhece. 
Os teus grupos e interesses são para ti uma prisão que te impede a abertura ao diferente? 

Escuta uma vez mais o Evangelho de Lucas e repara como Jesus tem consciência de qual é a sua missão: isso dá-Lhe uma enorme liberdade interior. 

 

Colóquio final

Termina a tua oração colocando diante de Deus tudo o que te fecha em ti. Pergunta-te se este não seria um bom tempo para celebrar o Sacramento da Reconciliação. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.