Quarta-feira da vigésima semana do Tempo Comum

Hoje é dia dezassete de agosto, quarta-feira da vigésima semana do Tempo Comum, memória litúrgica de Santa Beatriz da Silva.

Não é bom estar sozinho, e não é fácil. 
Mas, de vez em quando, 
precisas de acolher a solidão como uma amiga, 
pois ela ajuda-te a encontrar o caminho para o teu interior, 
lá onde Deus te aguarda. 
Durantes estes minutos, 
deixa-te ficar nesta solidão que faz bem, 
escutando o Senhor, conversando com Ele. 
Com este desejo, começa a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Salmo vinte e dois. [Slm 22 (23), 1-6]

O Senhor é meu pastor: nada me falta.
Leva-me a descansar em verdes prados,
conduz-me às águas refrescantes e reconforta a minha alma.
Ele me guia por sendas direitas por amor do seu nome.
Ainda que tenha de andar por vales tenebrosos,
não temerei nenhum mal, porque Vós estais comigo:
o vosso cajado e o vosso báculo me enchem de confiança. 
Para mim preparais a mesa
à vista dos meus adversários;
com óleo me perfumais a cabeça e o meu cálice transborda.
A bondade e a graça hão de acompanhar-me
todos os dias da minha vida,
e habitarei na casa do Senhor para todo o sempre. 

 

Pontos de oração

É bom contemplar o quadro idílico deste Salmo, a beleza pacífica de um campo verdejante. O Senhor, em silêncio, conduz a tua vida. Deixa-te comover. Jesus “conforta” a tua alma.

Nem tudo são rosas. Os “vales tenebrosos” também fazem parte da paisagem. Mas quando o Bom Pastor está connosco, que havemos de temer? De que tens medo? A alegria é a luz da confiança.

Santa Beatriz foi uma mulher muito bela que despertou invejas e ódios, como Jesus, o Belo Pastor. A verdadeira beleza é a santidade. Olhar para a Cruz é ver-se ao espelho e perguntar: Que tenho feito por Cristo?

 

Colóquio final

Pede ao Senhor a graça de te deixares alimentar por Ele. A graça de aceitares a sua mesa, a Eucaristia. Que o seu cálice de amor transborde de ti para todos!

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.