Quarta-feira, festa litúrgica da Cadeira de S. Pedro

Hoje é dia vinte e dois de fevereiro, quarta-feira, festa litúrgica da Cadeira de S. Pedro. 

De Marco Frisina estás a escutar L’arrivo a Roma

Simone Weil disse certa vez
que o mais puro amor
consente e aceita a distância
entre nós e aqueles a quem amamos.
A distância permite um espaço de liberdade,
de respeito pela diferença, 
de acolhimento da novidade e da surpresa
que o outro é para mim.
Também a oração reside neste mistério de liberdade.
Acolhe a distância que encontras entre ti e Deus:
não a distância física, mas a distância que existe
entre os teus desejos, projetos e expectativas
e a vontade que Deus manifesta na tua vida.
Abre-te à sua novidade e à sua surpresa:
e começa assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 16, 13-19].

Jesus foi para os lados de Cesareia de Filipe
e perguntou aos seus discípulos:
«Quem dizem os homens que é o Filho do homem?».
Eles responderam: «Uns dizem que é João Baptista,
outros que é Elias,
outros que é Jeremias ou algum dos profetas».
Jesus perguntou: 
«E vós, quem dizeis que Eu sou?».
Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse:
«Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo».
Jesus respondeu-lhe:
«Feliz de ti, Simão, filho de Jonas,
porque não foram a carne e o sangue que to revelaram,
mas sim meu Pai que está nos Céus.
Também Eu te digo: Tu és Pedro;
sobre esta pedra edificarei a minha Igreja
e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus:
tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus,
e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus». 

 

Pontos de oração

“Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo”. Pedro disse mais do que podia entender sobre Jesus. Confessou-O como o seu tudo, ainda que não o vivesse plenamente. 
Não esperes saber tudo sobre Jesus ou ter uma vida de perfeição para confessares que Ele é tudo para ti. Di-lo já hoje, agora, ainda que não compreendas totalmente o alcance dessas palavras. 

O Senhor não espera que sejas santo para poder confiar em ti. É a confiança d’Ele em ti, tal como és neste momento, que te pode santificar. Acolhe essa confiança, deixa que Jesus te diga qual é a tua missão. 

Repara na grandeza da missão que Jesus confia a Pedro e recorda que, depois disso, Pedro ainda tropeçou algumas vezes. Não deixes que os teus tropeços sejam causa de desânimo. Jesus continua a confiar em ti. 

 

Colóquio final

Pede a Deus que a participação na Eucaristia seja para ti experiência de comunhão com toda a Igreja e reza pelo Papa, sucessor de Pedro.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.