Quarta-feira, festa litúrgica das Cinco Chagas do Senhor

Hoje é dia sete de fevereiro, quarta-feira, festa litúrgica das Cinco Chagas do Senhor.

Gostamos de viver na separação,
dividindo e opondo o que em nós habita:
bem e mal, força e debilidade,
êxito e fracasso, vida e morte.
E o Ressuscitado vem ao nosso encontro,
revelando a fecundidade da vida
nas marcas da paixão e da morte.
Que a tua oração se converta sempre
num caminho de união, de reconciliação e de paz.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 20, 24-29]

Tomé, um dos Doze, chamado Dídimo,
não estava com eles quando veio Jesus.
Disseram-lhe os outros discípulos:
«Vimos o Senhor».
Mas ele respondeu-lhes:
«Se não vir nas suas mãos o sinal dos cravos,
se não meter o dedo no lugar dos cravos e a mão no seu lado,
não acreditarei».
Oito dias depois, estavam os discípulos outra vez em casa
e Tomé com eles.
Veio Jesus, estando as portas fechadas,
apresentou-Se no meio deles e disse:
«A paz esteja convosco».
Depois disse a Tomé:
«Põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos;
aproxima a tua mão e mete-a no meu lado;
e não sejas incrédulo, mas crente».
Tomé respondeu-Lhe:
«Meu Senhor e meu Deus!».
Disse-lhe Jesus:
«Porque Me viste acreditaste:
felizes os que acreditam sem terem visto».

 

Para reconhecer a Jesus, o que Tomé mais valoriza são as marcas do seu sofrimento. Para que nós pudéssemos receber vida, Jesus teve de oferecer a sua. 
Recorda a entrega de Jesus, considera o que significam as suas chagas e quanto valem para ti.

Com certeza, já te aconteceu viver o conflito entre desejar fazer algo por alguém e sentir que isso tem um custo para ti. Recorda alguma situação em que esse custo era elevado… recorda o que decidiste e o que sentiste. 

Ao ouvir o Evangelho pela segunda vez, presta atenção à ordem que Jesus dá, de tocar nas suas feridas. 
Como te sentes ao olhar, ao aproximar-te e ao tocar as feridas dos outros?

No fim deste tempo de oração, conversa com Jesus sobre a sua dor, à qual Se entregou. Conversa também sobre as tuas dores e sobre o modo como as vives. 

 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.