Quarta-feira, memória litúrgica de Santa Luzia

Hoje é dia treze de dezembro, quarta-feira, memória litúrgica de Santa Luzia.

Estás à porta do encontro, estás a iniciar o teu momento de oração.
Acolhe a presença do Senhor que nunca falta, que nunca defrauda;
e começa a tua oração com este anúncio de esperança do profeta Isaías:
«Porque afirmas: ‘O meu destino está oculto ao Senhor
e a minha causa passa despercebida ao meu Deus’?
Não o sabes, não o ouviste dizer?
O Senhor é um Deus eterno, criador da terra até aos seus confins.
Dá força ao que anda exausto e vigor ao que anda enfraquecido.
Os que esperam no Senhor renovam as suas forças,
formam asas como as águias». 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 11, 28-30]

Jesus exclamou:
«Vinde a Mim,
todos os que andais cansados e oprimidos,
e Eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo
e aprendei de Mim,
que sou manso e humilde de coração,
e encontrareis descanso para as vossas almas.
Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve». 

 

Pontos de oração

Jesus convida todos os que andam cansados e oprimidos a irem com Ele, prometendo-lhes repouso. 
Nos caminhos da vida, podes sentir-te sem forças, deixando-te abater pelo desânimo. Se partilhares o peso das dificuldades com Jesus, tornas-te mais leve e vais mais longe. 
Que cargas pesadas andas teimosamente a querer carregar sem auxílio de ninguém? 

Os escribas e fariseus olham ao cumprimento rigoroso da Lei, sem condescendência pelos mais fracos e vulneráveis. Jesus, pelo contrário, sabe o que acontece no coração do povo que sofre. Ele é o rosto da misericórdia de Deus, comovido com a miséria do coração humano. 
Procura ser, também tu, presença desta misericórdia junto dos teus irmãos.

És chamado a ser uma continuação do modo de proceder de Jesus. Importa aliviar as pessoas oprimidas por ritualismos desprovidos de conteúdo. Acolhe as palavras de Jesus como um convite a olhar o próximo com mansidão, sem julgamentos fáceis e superficiais.

 

Colóquio final

Podemos olhar as aparências, mas o coração de cada pessoa guarda feridas e debilidades que só Deus conhece. Jesus diz que prefere a misericórdia ao sacrifício, porque não veio chamar os justos, mas os pecadores. Seguindo os seus passos, predispõe-te a fazer o mesmo.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.