Quarta-feira, memória litúrgica de São Bonifácio, bispo e mártir

Hoje é dia cinco de junho, quarta-feira, memória litúrgica de São Bonifácio, bispo e mártir.

É fácil sentir o cansaço da oração. É fácil experimentar o “não me apetece”, ou o “agora não tenho tempo”, ou até o “não adianta nada”. Se a oração fosse fácil, se persistir na oração não fosse um desafio de todos os dias, Jesus não tinha apresentado a viúva teimosa ou o amigo importuno como exemplos para a tua oração. Não é que Deus precise de ser incomodado para te escutar. Tu é que precisas de te incomodar, dia após dia, para ficares à escuta de Deus. Pensa nisto por alguns momentos..., pede ao Senhor a graça da persistência... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do livro dos Atos dos Apóstolos. [L1 At 20, 28-38]

Paulo disse aos anciãos da Igreja de Éfeso: «Sede vigilantes e lembrai-vos que, durante três anos, noite e dia, não cessei de exortar com lágrimas cada um de vós. Agora entrego-vos a Deus e à palavra da sua graça, que tem o poder de construir o edifício e conceder a herança a todos os santificados. Não desejei prata, ouro ou vestuário de ninguém. Vós próprios sabeis que estas mãos proveram às minhas necessidades e às dos meus companheiros. Em tudo vos mostrei que é trabalhando assim que devemos acudir aos mais fracos; e recordo-vos as palavras do Senhor Jesus: ‘Há mais felicidade em dar do que em receber’». Dito isto, Paulo pôs-se de joelhos e orou com eles. Todos romperam em pranto e, lançando-se ao pescoço de Paulo, começaram a abraçá-lo, consternados sobretudo por ele lhes ter dito que não mais tornariam a ver o seu rosto. Em seguida, acompanharam-no até ao barco.

Ouviste o final da despedida de Paulo. Depois de uma presença intensa, deixa a comunidade cristã de Éfeso, confiando nos seus responsáveis e na graça de Deus. Paulo não se sentiu indispensável e deu espaço para que os seus discípulos continuassem o seu caminho. Também tu és chamado a fazer o teu caminho com Cristo. Agradece a liberdade e a responsabilidade que tens no modo como vives a tua fé.

Paulo recorda que trabalhou para acudir aos mais fracos. E diz que «Há mais felicidade em dar do que em receber». Isto faz sentido para ti? Tens alguma experiência que te confirme que é assim mesmo?

Ouve outra vez as palavras de Paulo, dando especial atenção ao aviso para que os cristãos de Éfeso sejam vigilantes. Procura aplicar a ti as suas palavras.

Para acabar o teu tempo de oração, conversa com Deus sobre a alegria que se tem no dar e sobre como poderias crescer neste tipo de alegria, de forma concreta, no teu dia a dia.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.