Quarta-feira, memória litúrgica de São Luís Gonzaga

Hoje é dia vinte e um de junho, quarta-feira, memória litúrgica de São Luís Gonzaga. 

A oração suscita em nós vários sentimentos,
quer de gratidão pelas bênçãos vividas,
quer de angústia pelas perdas sofridas.
Acredita que Deus não brinca com a tua vida,
mas sustenta-a com a plenitude do seu ser.
E, assim, as perdas e sofrimentos recebem um sentido novo,
como rezam as seguintes palavras de São Luís Gonzaga: 
«Se Deus toma de novo o que nos tinha já dado,
não o faz senão para o colocar em lugar mais seguro
e ao abrigo de qualquer perigo,
e para nos dar aqueles bens
que acima de tudo desejamos».

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 6, 1-6.16-18].

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Tende cuidado em não praticar as vossas boas obras
diante dos homens, para serdes vistos por eles.
Aliás, não tereis nenhuma recompensa do vosso Pai que está nos Céus.
Assim, quando deres esmola,
não toques a trombeta diante de ti,
como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas,
para serem louvados pelos homens.
Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa.
Quando deres esmola,
não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita,
para que a tua esmola fique em segredo;
e teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa.
Quando rezardes, não sejais como os hipócritas,
porque eles gostam de orar de pé,
nas sinagogas e nas esquinas das ruas,
para serem vistos pelos homens.
Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa.
Tu, porém, quando rezares,
entra no teu quarto, fecha a porta e ora a teu Pai em segredo;
e teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa.
Quando jejuardes,
não tomeis um ar sombrio, como os hipócritas,
que desfiguram o rosto, para mostrarem aos homens que jejuam.
Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa.
Tu, porém, quando jejuares,
perfuma a cabeça e lava o rosto,
para que os homens não percebam que jejuas,
mas apenas o teu Pai, que está presente no que é oculto;
e teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa». 

 

Pontos de oração

Hoje a Igreja celebra São Luís Gonzaga, que viveu no século dezasseis e é um grande modelo de oração e serviço aos mais abandonados. Morreu aos vinte e dois anos, tratando os empestados da cidade de Roma com grande devoção e amor. Era Jesuíta, mas ainda não era padre. 
Pensa em tantas pessoas que vivem a adiar o fazer alguma coisa pelos outros…

Que é para ti rezar? É encontrar a Deus na intimidade, para aí, no silêncio, te entregares e acolheres a missão que Deus te quer confiar? A oração ajuda-te a saíres de ti e a aceitares-te a ti e aos outros com alegria? A oração traz-te sabedoria para levares a paz e defenderes os mais fracos? Esses são bons sinais. 

Ao ouvires novamente o Evangelho, pensa no que farias se alguém te viesse pedir para o ensinares a rezar. Se fosse um amigo, por onde começavas? E porque não tentares dar alguma catequese aos mais novos? 

 

Colóquio final

Termina a tua oração recolhendo-te diante de Deus Pai, e agradece as graças que recebeste nestes dias. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.