Quarta-feira, memória litúrgica de São Maximiliano Maria Kolbe

Hoje é dia catorze de agosto, quarta-feira, memória litúrgica de São Maximiliano Maria Kolbe.

Não é fácil encontrar as palavras certas para começar a rezar, especialmente quando o teu coração se encontra preocupado com as muitas solicitações que a vida traz sempre consigo. Começas a pensar em Deus e daí a uns segundos já estás a pensar na discussão de ontem ou no encontro de há minutos ou em qualquer outra coisa que neste momento é importante para ti. Não te deixes desanimar nem abandones o teu desejo de ficar com o Senhor em oração. Encontra uma palavra ou uma pequena frase que te ajude a ficar na presença de Deus... e, repetindo-a, começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 18, 15-20]

Jesus disse aos seus discípulos: «Se o teu irmão te ofender, vai ter com ele e repreende-o a sós. Se te escutar, terás ganho o teu irmão. Se não te escutar, toma contigo mais uma ou duas pessoas, para que toda a questão fique resolvida pela palavra de duas ou três testemunhas. Mas se ele não lhes der ouvidos, comunica o caso à Igreja; e se também não der ouvidos à Igreja, considera-o como um pagão ou um publicano. Em verdade vos digo: Tudo o que ligardes na terra será ligado no Céu; e tudo o que desligardes na terra será desligado no Céu. Digo-vos ainda: Se dois de vós se unirem na terra para pedirem qualquer coisa, ser-lhes-á concedida por meu Pai que está nos Céus. Na verdade, onde estão dois ou três reunidos em meu nome, Eu estou no meio deles».

Hoje celebramos a memória de S. Maximiliano Maria Kolbe, um padre franciscano que trocou de lugar com um pai de família, condenado a morrer à fome no campo de concentração de Auschwitz. Pensa no gesto grandioso deste homem que viveu o perdão a partir da lógica do amor.

Perdoar e ser perdoado é uma arte difícil que é preciso treinar: pede bondade, mais que ressentimento e conflito. O perdão não é um esquecimento, é uma nova oportunidade de recomeçar, aberta a um futuro redentor. Haverá na tua vida alguma relação que precise deste treino do perdão?

Jesus põe o acento na correção fraterna e na reconciliação. Ao ouvires de novo o Evangelho, repara como Jesus dá instruções concretas sobre como proceder em caso de conflito. Corrigir os que erram é uma obra de misericórdia, mas Jesus pede para o fazeres com caridade.

Pensa nos aspetos da tua vida que precisam de perdão e interroga-te se não é chegado o momento de pedires a um sacerdote o sacramento da Reconciliação.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.