Quinta-feira da décima sétima semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e oito de julho, quinta-feira da décima sétima semana do Tempo Comum. 

Amar significa destruir as barreira que nos separam dos outros e romper o isolamento de quem é escravo do seu próprio sucesso. 
Significa abrir-se à sempre eterna novidade que és tu e são os outros e encontrar no rosto de cada um a luz de quem ama e é amado. 
Pede ao Senhor a liberdade de te deixares amar completamente por Ele. Assim, vale a pena começares a tua oração. 

 

Escuta esta passagem do livro do Profeta Jeremias. [L 1 Jer 18, 1-6]

Palavra que o Senhor dirigiu ao profeta Jeremias: 
«Levanta-te e desce à casa do oleiro;
ali te farei ouvir as minhas palavras».
Eu desci à casa do oleiro
e encontrei-o a trabalhar na roda.
Quando o vaso que ele estava a moldar não saía bem, 
como acontece com o barro nas mãos do oleiro,
ele começava de novo
e fazia outro vaso, como lhe parecia melhor.
Então o Senhor dirigiu-me a palavra, dizendo:
«Não poderei Eu tratar-vos como este oleiro,
ó casa de Israel? – diz o Senhor.
Como o barro nas mãos do oleiro,
assim estais vós na minha mão, ó casa de Israel».

 

Pontos de oração

O Senhor é o oleiro que te molda. Hoje, que o Papa Francisco chega à Jornada Mundial da Juventude, em Cracóvia, faz o compromisso de querer ser sempre jovem de espírito, pois os jovens são aqueles que se deixam moldar.

O Papa desafia os jovens a que sejam misericordiosos para serem felizes e alcançarem misericórdia. E a ti, diz-te que é verdade que às vezes procuras Deus, mas Ele vem sempre ao teu encontro. E se sentires um peso no coração e pensares: «ai, mas eu fiz isto, fiz aquilo»… não temas! Ele espera-te. É Pai; espera-te sempre.

És o barro nas mãos do oleiro. Não há mal definitivo: se alguma coisa corre mal, o Senhor volta a amassar-te e a moldar-te. Está sempre disposto a começar de novo. Repara como a Escritura é tão clara!

 

Colóquio final

É o Papa a dar-te hoje um propósito concreto: "Como é belo encontrar no sacramento da Reconciliação o abraço misericordioso do Pai, descobrir o confessionário como o lugar da Misericórdia, deixar-nos tocar por este amor misericordioso do Senhor que nos perdoa sempre!"

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.