Quinta-feira da quinta semana do tempo comum

Hoje é dia nove de fevereiro, quinta-feira da quinta semana do tempo comum. 

Jesus comparou o Reino de Deus
ao fermento que uma mulher mistura com três medidas de farinha
até que tudo fique fermentado.
Também a tua oração poderá ser pequena, breve, 
simples e frágil como o fermento;
mas não duvides do seu poder de transformar.
Não hesites em misturar a oração com a tua vida,
em tudo o que ela é, com os ritmos que tem.
Essa é a farinha de que dispões.
Junta-lhe, hoje, este pequeno fermento da tua oração,
e deixa-a fermentar.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Mc 7, 24-30]

Jesus dirigiu-Se para a região de Tiro e Sidónia.
Entrou numa casa e não queria que ninguém o soubesse.
Mas não pôde passar despercebido,
pois logo uma mulher,
cuja filha tinha um espírito impuro,
ao ouvir falar d’Ele, veio prostrar-se a seus pés.
A mulher era pagã, siro-fenícia de nascimento,
e pediu-Lhe que expulsasse o demónio de sua filha.
Mas Jesus respondeu-lhe:
«Deixa primeiro que os filhos estejam saciados,
pois não está certo tirar o pão dos filhos
para o lançar aos cachorrinhos».
Ela, porém, disse:
«Senhor, também é verdade que os cachorrinhos
comem debaixo da mesa as migalhas das crianças».
Então Jesus respondeu-lhe:
«Dizes muito bem.
Podes voltar para casa,
porque o demónio já saiu da tua filha».
Ela voltou para casa
e encontrou a criança deitada na cama.
O demónio tinha saído. 

 

Pontos de oração

Jesus sai da terra de Israel e encontra uma mulher pagã, que pede ajuda para a filha doente. Pertencente a uma outra cultura e religião, a Lei estabelecia que devia ser ignorada. Neste encontro, Jesus procura abrir a mentalidade dos discípulos ao acolhimento universal. 
Procuras desconstruir os preconceitos e acolher quem vem ao teu encontro? 

Jesus recorda à mulher a sua condição de estrangeira face à religião hebraica, e diz: «O pão das crianças não deve ser dado aos cachorrinhos». Mas ela sabe que estes comem as migalhas que caem da mesa dos donos. Cheia de fé, pede apenas a cura da filha, sem se importar consigo. 
Quando pedes a Deus alguma coisa, com que fé te entregas a Ele? 

É a fé que nos salva do pecado e do egoísmo. Mas a cura dos pecados vem sobretudo do sacramento da reconciliação. 
Se te sentes estrangeiro ao amor de Deus, coloca-te no papel da mulher desta história e faz a experiência do perdão que só Jesus te pode oferecer. 

 

Colóquio final

A história de hoje tem um final feliz. Ao voltar para casa, esta mãe vê a filha curada. Descentrada de si, desejou o bem do próximo.
Conclui este tempo de oração rezando por alguém que te preocupa, pedindo a Jesus que se faça presente com o seu amor. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.