Quinta-feira da segunda semana da Quaresma

Hoje é dia dezasseis de março, quinta-feira da segunda semana da Quaresma. 

De Kevin Duncan, estás a escutar When I survey the wondrous cross.

Vivemos em contínuo estado de conversão.
É a própria vida que nos pede,
se estivermos disponíveis e atentos:
nas nossas relações e encontros, 
nos acontecimentos e desafios de cada dia,
nos ecos que escutamos quando nos abrimos ao silêncio.
É nestas encruzilhadas que somos moldados,
quando as agulhas e pontas do nosso ser
provocam dor e sofrimento nos irmãos.
Que a oração te ajude sempre a moldar,
não a endurecer, o teu coração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 16, 19-31] 

Disse Jesus aos fariseus:
«Havia um homem rico, que se vestia de linho fino
e se banqueteava esplendidamente todos os dias.
Um pobre chamado Lázaro jazia junto do seu portão, coberto de chagas.
Bem desejava ele saciar-se com os restos caídos da mesa do rico;
mas até os cães vinham lamber-lhe as chagas.
Ora sucedeu que o pobre morreu
e foi colocado pelos Anjos ao lado de Abraão.
Morreu também o rico e foi sepultado.
Na mansão dos mortos, estando em tormentos,
levantou os olhos e viu Abraão com Lázaro a seu lado.
Então ergueu a voz e disse: ‘Pai Abraão, tem compaixão de mim.
Envia Lázaro, para que molhe em água a ponta do dedo
e me refresque a língua, porque estou atormentado nestas chamas’.
Abraão respondeu-lhe:
‘Filho, lembra-te que recebeste os teus bens em vida e Lázaro apenas os males.
Por isso, agora ele encontra-se aqui consolado,
enquanto tu és atormentado.
Além disso, há entre nós e vós um grande abismo, de modo que, 
se alguém quisesse passar daqui para junto de vós, não poderia fazê-lo’.
O rico exclamou: ‘Então peço-te, ó pai,
que mandes Lázaro à minha casa paterna
— pois tenho cinco irmãos — para que os previna,
a fim de que não venham também para este lugar de tormento’.
Disse-lhe Abraão: ‘Eles têm Moisés e os Profetas: que os oiçam’.
Mas ele insistiu: ‘Não, pai Abraão. 
Se algum dos mortos for ter com eles, arrepender-se-ão’.
Abraão respondeu-lhe:
‘Se não dão ouvidos a Moisés e aos Profetas,
também não se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dos mortos’». 

 

Pontos de oração

Um rico e um pobre. Um, orgulhoso e avarento; o outro, miserável, esfomeado, com chagas no corpo. 
Continuamos a encontrar pobres Lázaros como o do Evangelho. Que fazes por eles? Como reage o teu coração à miséria e às doenças de tantos irmãos teus? Abres a tua bolsa e partilhas do que és e do que tens?

Tens o Evangelho. Não precisas de mais profetas. Tens Jesus a dizer-te: ama, ajuda, socorre, partilha. Mata a fome e a sede. Visita pobres, doentes, encarcerados. Que impacto têm estas palavras do Divino Mestre na tua vida, na tua ação e nas tuas opções? A Quaresma tem de ser na tua vida uma conversão ao amor, ao dom, à generosidade.

Vais ouvir novamente o texto do Evangelho. Escuta-o com serenidade e humildade.

 

Colóquio final

Pede a Jesus a graça de amares ao jeito d’Ele, de estares sensível à dor e necessidade dos pobres e doentes.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.