Quinta-feira da sexta semana do Tempo Pascal

Hoje é dia dez de maio, quinta-feira da sexta semana do Tempo Pascal. 

De Hildegarda de Bingen, estás a escutar Quia ergo femina.

O amor torna a pessoa audaz.
Os medos, dúvidas e angústias não desaparecem,
tal como não muda a história, o corpo e o tempo.
Mas tudo ganha um novo horizonte,
a esperança de um espaço novo,
onde têm lugar todas as irmãs e irmãos
que connosco se cruzam.
Acolhe da Páscoa do Senhor a energia do seu amor,
e vive à sua luz, no teu quarto mais íntimo,
a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Livro dos Atos dos Apóstolos. [At 18, 1-8]. 

Paulo saiu de Atenas e foi para Corinto.
Encontrou lá um judeu chamado Áquila, natural do Ponto,
recentemente chegado de Itália, com Priscila, sua mulher,
porque o imperador Cláudio tinha decretado
que todos os judeus saíssem de Roma.
Paulo juntou-se a eles
e, como era da mesma profissão, fabricante de tendas,
ficou em sua casa para trabalharem juntos.
Todos os sábados, Paulo falava na sinagoga,
procurando convencer tanto judeus como gregos.
Quando Silas e Timóteo chegaram da Macedónia,
Paulo consagrou-se totalmente à pregação,
afirmando aos judeus que Jesus era o Messias.
Mas perante a oposição e blasfémias deles,
sacudiu as vestes e declarou-lhes:
«O vosso sangue recaia sobre as vossas cabeças.
Eu não sou responsável por isso.
A partir de agora, vou dirigir-me aos gentios».
Saiu dali e foi para casa de Tício Justo,
homem que adorava a Deus e morava junto da sinagoga.
Entretanto, Crispo, chefe da sinagoga,
acreditou no Senhor, ele e a sua família,
e muitos coríntios que ouviam a palavra de Paulo
abraçavam também a fé e recebiam o Batismo. 

 

Os Atos dos Apóstolos mostram-te hoje o protagonismo da Providência de Deus, que se serviu da expulsão dos judeus de Roma para que Paulo conhecesse Áquila e Priscila, e que se serviu da oposição dos judeus para que Paulo se dedicasse definitivamente aos não judeus. Foi essa mesma Providência quem permitiu na tua vida esses acontecimentos que te parecem tão difíceis de entender.

Paulo era colega de profissão de Áquila, e o trabalho foi o contexto e a ocasião para o seu gesto de evangelização. 
Não lamentes se não podes ir, como tantos cristãos, para terras de missão, pois o trabalho profissional é um campo evangelizador para toda a tua vida.

Falar da fé provoca reações muito diversas. Quem fala da fé, arrisca sempre. Fala da fé sem te preparares demasiado e sem condições ideais. Pensa no exemplo de S. Paulo, que vais escutar de novo.

 

Paulo, saturado da falta de êxito com os judeus, voltou-se para os gentios de forma realista e imediata. Procurou alguém que, sem ser judeu, tinha respeito por Deus. 
Pede ao Senhor que te ajude a entender como hás de levar o seu nome a quem já O esqueceu ou não O conhece.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.