Quinta-feira da terceira semana da Quaresma

Hoje é dia oito de março, quinta-feira da terceira semana da Quaresma. 

É natural sentires, por vezes, a oração
como uma dificuldade, quase uma violência.
Muitos autores, ao longo da tradição cristã,
falaram da oração como um difícil combate contra a inércia, 
a monotonia e a tristeza que nos invadem.
E no próprio Evangelho encontramos parábolas de Jesus
nas quais se fala do Reino como uma luta árdua.
Agradece ao Senhor este esforço, 
eleva-Lhe a tua prece e o teu louvor;
e que a tua oração seja a abertura do círculo,
o respiro da paz.

 

Escuta esta passagem do Salmo 94. [Salmo 94 (95), 1-2.6-7.8-9]

Vinde, exultemos de alegria no Senhor,
aclamemos a Deus, nosso salvador.
Vamos à sua presença e dêmos graças,
ao som de cânticos aclamemos o Senhor.
Vinde, prostremo-nos em terra,
adoremos o Senhor que nos criou.
Pois Ele é o nosso Deus
e nós o seu povo, as ovelhas do seu rebanho.
Quem dera ouvísseis hoje a sua voz:
«Não endureçais os vossos corações,
como em Meriba, como no dia de Massa no deserto,
onde vossos pais Me tentaram e provocaram,
apesar de terem visto as minhas obras. 

O convite que o salmista te dirige dilata-se até aos confins do universo. Desde a mais pequenina matéria até às estrelas, tudo canta um hino de ação de graças. Caridade, paz e alegria: a sinfonia da terra e do céu. 

O louvor conduz à adoração, ao reconhecimento da misericórdia do nosso Deus. Prostremo-nos em terra! 
Como entendes o reinado de Cristo sobre ti? Uma autoridade que atemoriza ou o colo do consolo infinito? 

Somos um povo que caminha, na companhia de Jesus, o pastor belo e bom. Quem dera todos ouvissem a sua voz. Mas como hão de escutar, se ninguém lhes fala d’Ele?
Proclama-O na tua vida. Mãos e coração à obra! 

Termina a tua oração pedindo humildemente ao Senhor:
"Jesus, manso e humilde, mostra-me o teu rosto. Que eu nunca endureça o coração. Concede-me a graça da mansidão e da humildade, para atrair a Ti, para correr para Ti e permanecer sempre a teu lado".  

 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.