Quinta-feira da trigésima terceira semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e três de novembro, quinta-feira da trigésima terceira semana do Tempo Comum. 

Estás a iniciar o teu breve momento de oração.
Deixa que esta te inicie na pedagogia da vigilância,
da escuta e atenção aos sinais da presença do Senhor na tua vida,
muitas vezes escondidos aos teus olhos.
Baixa as defesas que a tua mente aprendeu a erguer,
as justificações, seguranças e máscaras,
e entrega-te ao Senhor em tudo o que és:
Ele te recebe como um Pai de misericórdias,
pois não está longe de ti;
n’Ele vivemos, nos movemos e existimos.
Começa assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 19, 41-44] 

Quando Jesus Se aproximou de Jerusalém,
ao ver a cidade, chorou sobre ela e disse:
«Se ao menos hoje conhecesses o que te pode dar a paz!
Mas não. Está escondido a teus olhos.
Dias virão para ti,
em que os teus inimigos te rodearão de trincheiras
e te apertarão de todos os lados.
Esmagar-te-ão a ti e aos teus filhos
e não deixarão em ti pedra sobre pedra,
por não teres reconhecido o tempo em que foste visitada». 

 

Pontos de oração

“Ao ver a cidade, Jesus chorou sobre ela”. 
É-nos apresentado um Jesus transparente – que manifesta os sentimentos – chorando à vista da cidade de Deus. Jesus comove-Se, deixa-Se tocar profundamente…

“Se ao menos hoje conhecesses o que te pode dar a paz!”. 
De facto, Jesus é o Príncipe da paz. Se acolhesses Jesus, tal faria toda a diferença na tua vida, em termos de autodomínio, paz, alegria, capacidade de amar... 

À vista de Jerusalém, Jesus chora. Chora sobretudo devido ao amor que O move. Loucura das loucuras: Jesus chora porque na sua pessoa é o próprio Deus que te visita e tu não te decides a acolhê-Lo. E, no entanto, no seu infinito amor, Jesus entrega totalmente a vida por ti, em teu favor.
Escuta novamente o Evangelho...

 

Colóquio final

Pede a graça de te dispores a acolher realmente a Jesus na tua vida. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.