Quinta-feira da vigésima segunda semana do Tempo Comum

Hoje é dia sete de setembro, quinta-feira da vigésima segunda semana do Tempo Comum. 

No sentido corrente dos dias,
precisamos de um fundamento, de uma pedra angular
na qual podemos confiar.
Hoje, começa a tua oração e prepara o teu coração
com estas palavras do Salmo 119:
«Senhor, a tua palavra permanece para sempre,
mais estável do que os céus.
A tua fidelidade atravessa as gerações;
formaste a terra e ela continua firme.
Pelos teus decretos, tudo se mantém até hoje,
porque tudo está ao teu serviço».

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 5, 1-11] 

Estava a multidão aglomerada em volta de Jesus,
para ouvir a palavra de Deus.
Ele encontrava-Se na margem do lago de Genesaré
e viu dois barcos estacionados no lago.
Os pescadores tinham deixado os barcos e estavam a lavar as redes.
Jesus subiu para um barco, que era de Simão,
e pediu-lhe que se afastasse um pouco da terra.
Depois sentou-Se e do barco pôs-Se a ensinar a multidão.
Quando acabou de falar, disse a Simão:
«Faz-te ao largo e lançai as redes para a pesca».
Respondeu-Lhe Simão:
«Mestre, andámos na faina toda a noite e não apanhámos nada.
Mas, já que o dizes, lançarei as redes».
Eles assim fizeram e apanharam tão grande quantidade de peixes
que as redes começavam a romper-se.
Fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco
para os virem ajudar;
eles vieram e encheram ambos os barcos
de tal modo que quase se afundavam.
Ao ver o sucedido,
Simão Pedro lançou-se aos pés de Jesus e disse-Lhe:
«Senhor, afasta-Te de mim, que sou um homem pecador».
Na verdade, o temor tinha-se apoderado dele
e de todos os seus companheiros,
por causa da pesca realizada.
Isto mesmo sucedeu a Tiago e a João, filhos de Zebedeu,
que eram companheiros de Simão.
Jesus disse a Simão:
«Não temas. Daqui em diante serás pescador de homens».
Tendo conduzido os barcos para terra,
eles deixaram tudo e seguiram Jesus. 

 

Pontos de oração

«Já que o dizes, lançarei as redes». Deus pode pedir o que parece não ter sentido: responder ao mal com o bem, preferir o perdão ao ressentimento. Ainda que seja difícil e que os resultados não sejam evidentes, podes confiar que o fruto de fazer a vontade de Deus é sempre abundante. 

«Afasta-te de mim». A consciência dos nossos pecados e das nossas falhas leva-nos, por vezes, ao afastamento do Senhor. Mas Jesus insiste em fazer dessas situações lugares de encontro. 
Deixa-te encontrar pelo Senhor. 

Ao ouvir de novo o Evangelho, toma consciência de como o Senhor liberta do medo e confia aos seus discípulos uma missão. 

 

Colóquio final

Agradece a Deus a confiança que tem em ti. Pede-Lhe que renove o teu desejo de colaborar com Ele na sua missão. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.