Quinta-feira da vigésima segunda semana do tempo comum

Hoje é dia cinco de setembro, quinta-feira da vigésima segunda semana do tempo comum.

Procurar a face de Deus. O Papa Bento XVI dizia que este era o objetivo dos monges antigos e deve ser o objetivo de cada cristão: procurar a face de Deus. A oração é esta busca constante, nunca terminada, alimentada pelo desejo de contemplar o Senhor e de se deixar perder no amor do seu olhar. Hoje, pede ao Senhor a graça de cultivares este desejo toda a tua vida, fazendo dele caminho para a eternidade. E começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 5, 1-11]

A multidão estava aglomerada em volta de Jesus, para ouvir a palavra de Deus. Ele encontrava-Se na margem do lago de Genesaré e viu dois barcos estacionados no lago. Os pescadores tinham deixado os barcos e estavam a lavar as redes. Jesus subiu para um barco, que era de Simão, e pediu-lhe que se afastasse um pouco da terra. Depois sentou-Se e do barco pôs-Se a ensinar a multidão. Quando acabou de falar, disse a Simão: «Faz-te ao largo e lançai as redes para a pesca». Respondeu-Lhe Simão: «Mestre, andámos na faina toda a noite e não apanhámos nada. Mas, já que o dizes, lançarei as redes». Eles assim fizeram e apanharam tão grande quantidade de peixes que as redes começavam a romper-se. Fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco para os virem ajudar; eles vieram e encheram ambos os barcos de tal modo que quase se afundavam. Ao ver o sucedido, Simão Pedro lançou-se aos pés de Jesus e disse-Lhe: «Senhor, afasta-Te de mim, que sou um homem pecador». Na verdade, o temor tinha-se apoderado dele e de todos os seus companheiros, por causa da pesca realizada. Isto mesmo sucedeu a Tiago e a João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. Jesus disse a Simão: «Não temas. Daqui em diante serás pescador de homens». Tendo conduzido os barcos para terra, eles deixaram tudo e seguiram Jesus.

Jesus era tão fascinante e o que Ele dizia tão espantosamente atraente que não O largavam. Tinham fome e sede d'Ele: seguiam-No para toda a parte: fosse a praia, o monte, o barco, os caminhos ou as praças das aldeias. A Palavra de Jesus fazia-lhes arder o coração com uma doçura indescritível. E tu, és sensível às suas palavras?

Estando no barco, mandou que os pescadores lançassem as redes, apesar de Lhe terem dito que não havia peixe. E a pesca foi abundante porque a Deus nada é impossível, e Jesus era Deus, e Deus é abundância de tudo. Procuras seguir o Senhor e gozar dessa abundância de Paz, Alegria e Amor?

Jesus também te diz: “Não tenhas medo. Daqui por diante serás pescador de homens”. É esta agora a tua grande Missão: “pescador de homens”. E não precisas que te digam quais os homens que Jesus te pede para pescar porque já o sabes bem.

É essa a tua colaboração na construção do Reino: pescador de homens. Hoje, num breve colóquio com Jesus, organiza o como, o quando e quem. Agora és companheiro de Simão Pedro e colaborador direto do Senhor Jesus.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.