Quinta-feira da vigésima sétima semana do tempo comum

Hoje é dia dez de outubro, quinta-feira da vigésima sétima semana do tempo comum.

Quase sempre, a dificuldade maior da oração é a disposição para começar. Há sempre uma multidão de argumentos sugerindo como seria mais acertado deixar a oração para outra altura: quando estiver mais descansado..., quando tiver mais tempo livre..., quando tiver coisas mesmo importantes para dizer ao Senhor... Vencer estes obstáculos ou quaisquer outros que se colocam entre ti e a oração é fundamental. Hoje já o fizeste. Dá graças ao Senhor... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 11, 5-13]

Jesus disse aos seus discípulos: «Se algum de vós tiver um amigo, poderá ter de ir a sua casa à meia-noite, para lhe dizer: ‘Amigo, empresta-me três pães, porque chegou de viagem um dos meus amigos e não tenho nada para lhe dar’. Ele poderá responder lá de dentro: ‘Não me incomodes; a porta está fechada, eu e os meus filhos já nos deitámos; não posso levantar-me para te dar os pães’. Eu vos digo: Se ele não se levantar por ser amigo, ao menos, por causa da sua insistência, levantar-se-á para lhe dar tudo aquilo de que precisa. Também vos digo: Pedi e dar-se-vos-á; procurai e encontrareis; batei à porta e abrir-se-vos-á. Porque quem pede recebe; quem procura encontra e a quem bate à porta, abrir-se-á. Se um de vós for pai e um filho lhe pedir peixe, em vez de peixe dar-lhe-á uma serpente? E se lhe pedir um ovo, dar-lhe-á um escorpião? Se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo àqueles que Lho pedem!».

Na verdadeira necessidade, não perder a confiança em Deus e perseverar no pedido. Ou seja, manter a abertura a receber o que Ele tem para te dar, na hora certa, que não vem quando se imagina. Que tipo de pedidos estão presentes na tua oração? Olha à tua volta e vê o que andam a pedir e como o fazem aqueles que se queixam que Deus não os ouve.

Pede a fortaleza e a sabedoria para fazer a vontade de Deus. Pede o dom do discernimento. É isso que Jesus prometeu e o Pai te quer dar.

Ouvindo com atenção a parte final do Evangelho, fixa-te na expressão “quanto mais”! E agradece este ensinamento: se até os maus dão coisas boas ao filhos, quanto mais o Pai dará o Espírito Santo, que é o melhor que Ele tem para dar; que é Ele próprio feito dom para a Eternidade.

Termina a tua oração louvando e faz o propósito de não esquecer que pedir bem é tornar-se capaz de receber o que o outro tem para dar.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.