Quinta-feira depois das Cinzas

Hoje é dia dois de março, quinta-feira depois das Cinzas. 

A oração é o momento oportuno
para o teu encontro pessoal com Deus.
Não hesites em viver este encontro
com os traços de uma relação filial,
de pertença e comunhão.
É o nosso Deus quem nos procura
e nos fala ao coração,
como nestas palavras do profeta Isaías:
«Nada temas, porque Eu te resgatei, 
e te chamei pelo teu nome; 
tu és meu, és precioso aos meus olhos». 
Assim, vale a pena começares a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 9, 22-25] 

Disse Jesus aos seus discípulos:
«O Filho do homem tem de sofrer muito,
ser rejeitado pelos anciãos, pelos príncipes dos sacerdotes e pelos escribas;
tem de ser morto e ressuscitar ao terceiro dia».
E, dirigindo-Se a todos, disse:
«Se alguém quiser seguir-Me,
renuncie a si mesmo,
tome a sua cruz todos os dias e siga-Me.
Pois quem quiser salvar a sua vida, tem de perdê-la;
mas quem perder a vida por minha causa salvá-la-á.
Na verdade, que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro,
se vier a perder-se ou arruinar-se a si próprio?». 


Pontos de Oração

Todos queremos a paz, todos queremos a felicidade, todos queremos o reino dos Céus. Mas nem sempre queremos pagar o preço da paz, da felicidade, do reino dos Céus.
Pondera no teu coração o quanto queres realmente seguir Jesus; quanto de ti estás disposto a dar? 

Põe-te diante do Senhor com honestidade: reconhece aquilo que em ti possa ser adverso à proposta de Jesus. Aceita isso: é o primeiro passo para conseguires avançar. Depois, recorre à pergunta do Senhor: de que vale salvar ‘isto’ ou ‘aquilo’, se te vieres a perder a ti mesmo? 

Ao ouvires de novo o Evangelho, deixa ressoar em ti as frases mais conhecidas – como quem recorda uma cantiga de infância.


Oração final

Pede ao Senhor que te ensine a temer mais o perigo de ter uma vida vazia do que o risco de ter uma vida entregue.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.