Quinta-feira, festa litúrgica do apóstolo São Mateus

Hoje é dia vinte e um de setembro, quinta-feira, festa litúrgica do apóstolo São Mateus.

Mateus, olhado como um pecador público pelos que o conheciam, não era uma escolha lógica para discípulo de Jesus. E, apesar disso, chegou a ser apóstolo, evangelista e é honrado como santo.
Pensa nas pessoas que te rodeiam ou naquelas com quem convives todos os dias e interroga-te sobre os muitos caminhos que as podem conduzir a Deus. 
Começa assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 9, 9-13]

Jesus ia a passar,
quando viu um homem chamado Mateus,
sentado no posto de cobrança dos impostos,
e disse-lhe: «Segue-Me».
Ele levantou-se e seguiu Jesus.
Um dia em que Jesus estava à mesa em casa de Mateus,
muitos publicanos e pecadores
vieram sentar-se com Ele e os seus discípulos.
Vendo isto, os fariseus diziam aos discípulos:
«Por que motivo é que o vosso Mestre
come com os publicanos e os pecadores?»
Jesus ouviu-os e respondeu:
«Não são os que têm saúde que precisam do médico,
mas sim os doentes.
Ide aprender o que significa:
‘Prefiro a misericórdia ao sacrifício’.
Porque Eu não vim chamar os justos, 
mas os pecadores».

 

Pontos de oração

Habituado que estás a considerar Mateus como um dos apóstolos, podes já ter esquecido quão desprezível era a sua profissão: um cobrador de impostos era alguém que estava do lado do inimigo. Daí o espanto dos fariseus ao verem Jesus a comer à mesa com aquela gente. 

Jesus não só não se inibe de estar com os pecadores como manifesta preferência por eles. "Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes", diz Ele. Deixa ressoar esta frase em ti e converte o teu olhar sobre aqueles a quem condenas com o coração. 

Ao ouvires de novo o Evangelho, repara na assertividade de Jesus, seja para chamar Mateus, seja para responder aos fariseus.

 

Colóquio final

Pede ao Senhor que te ensine a olhar a partir do seu coração. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.