Quinta-feira, memória litúrgica de Santo Inácio de Antioquia

Hoje é dia dezassete de outubro, quinta-feira, memória litúrgica de Santo Inácio de Antioquia.

Confiar no Senhor, entregar-Lhe cada dia... é isso que se espera do discípulo de Jesus. Mas, por vezes, não é suficiente: caído no abismo do pecado ou do sofrimento, só lhe resta o grito de súplica, pedindo que o Senhor faça brilhar a sua salvação. Os mártires de todos os tempos fizeram esta experiência do modo mais radical. Hoje continuam a fazê-la, em tantos lugares da Terra, esquecidos de quase todos. Não os esqueças tu. Leva-os contigo na tua oração. E reza também por todos quantos procuram ir em seu socorro.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 11, 47-54]

Disse o Senhor aos doutores da lei: «Ai de vós, porque edificais os túmulos dos profetas, quando foram os vossos pais que os mataram. Assim dais testemunho e aprovação às obras dos vossos pais, porque eles mataram-nos e vós levantais os monumentos. É por isso que a Sabedoria de Deus disse: ‘Eu lhes enviarei profetas e apóstolos; e eles hão de matar uns e perseguir outros’. Mas Deus vai pedir contas a esta geração do sangue de todos os profetas, que foi derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até ao sangue de Zacarias, que pereceu entre o altar e o Santuário. Sim, Eu vos digo que se pedirão contas a esta geração. Ai de vós, doutores da lei, porque tirastes a chave da ciência: vós não entrastes e impedistes os que queriam entrar!». Quando Jesus saiu dali, os escribas e os fariseus começaram a persegui-Lo terrivelmente e a provocá-Lo com perguntas sobre muitas coisas, armando-Lhe ciladas, para O surpreenderem nalguma palavra da sua boca.

Por puro amor e pela vontade de seu Pai, Jesus deseja que todos tenham a plenitude da verdade. Jesus, que Se importa profundamente com todos, está disposto a dizer a verdade, correndo o risco de perder a aprovação de muitos. O seu amor logo provará que está disposto a morrer por esses e por todos.

Jesus chama-te a defender a verdade, por palavras e por obras. Uma disponibilidade que pode ir até ao ponto de perderes a estima e a aprovação dos que te são próximos. A verdade pode doer, mas sempre traz glória a Deus e paz ao teu coração.

Escuta novamente o Evangelho e pede com confiança que a verdade de Jesus te torne verdadeiramente livre.

Termina a tua oração agradecendo ao Senhor a graça da sua verdade que te faz confrontares-te contigo mesmo. E não esqueças os teus irmãos que sofrem perseguição por darem testemunho da verdade que é Cristo.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.