Quinta-feira, memória litúrgica do martírio de São João Batista

Hoje é dia vinte e nove de agosto, quinta-feira, memória litúrgica do martírio de São João Batista.

“O Senhor é grande e digno de louvor”. Deixa-te tocar pela grandeza de Deus, não a grandeza reivindicada pelos poderosos da terra, mas a grandeza do amor: o Senhor é grande porque é Amor. E porque é Amor, é digno de louvor. Esta é a fonte de toda a oração. Uma fonte que alimenta a tua oração mesmo quando estás triste ou sentes dificuldade em rezar. Seja qual for o modo como te sentes hoje, diz no teu coração: “O Senhor é grande e digno de louvor”... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Mc 6, 17-29 – do Santoral]

O rei Herodes mandara prender João e algemá-lo no cárcere, por causa de Herodíades, a mulher do seu irmão Filipe, que ele tinha tomado por esposa. João dizia a Herodes: «Não podes ter contigo a mulher do teu irmão». Herodíades odiava João Baptista e queria dar-lhe a morte, mas não podia, porque Herodes respeitava João, sabendo que era justo e santo, e por isso o protegia. Quando o ouvia, ficava perturbado, mas escutava-o com prazer. Entretanto, chegou um dia oportuno, quando Herodes, no seu aniversário natalício, ofereceu um banquete aos grandes da corte, aos oficiais e às principais personalidades da Galileia. Entrou então a filha de Herodíades, que dançou e agradou a Herodes e aos convidados. O rei disse à jovem: «Pede-me o que desejares e eu to darei». E fez este juramento: «Dar-te-ei o que me pedires, ainda que seja a metade do meu reino». Ela saiu e perguntou à mãe: «Que hei de pedir?». A mãe respondeu-lhe: «Pede a cabeça de João Baptista». Ela voltou apressadamente à presença do rei e fez-lhe este pedido: «Quero que me dês sem demora, num prato, a cabeça de João Baptista». O rei ficou consternado mas, por causa do juramento e dos convidados, não quis recusar o pedido. E mandou imediatamente um guarda, com ordem de trazer a cabeça de João. O guarda foi à cadeia, cortou a cabeça de João e trouxe-a num prato. A jovem recebeu-a e entregou-a à mãe. Quando os discípulos de João souberam a notícia, foram buscar o seu cadáver e deram-lhe sepultura.

Uma história de pecado e dor. João Baptista dizia de si próprio: “Eu sou a voz que clama no deserto: endireitai os caminhos do Senhor”. Será que tens caminhos na tua vida que precisam de ser endireitados? Este Evangelho dar-te-á pistas para te ajudar a viver de acordo com a verdade e com a doutrina de Jesus.

João Baptista, homem de Deus que falava sem medo, disse a Herodes: “Não te é permitido possuir a mulher do teu irmão”. O anúncio desta verdade, tão ao contrário da que o mundo adotou, levou esse mesmo mundo a martirizar João. Será que tens na tua mente alguma “verdade” inventada pelo mundo que é contrária a Jesus?

Pelos teus olhos vai voltar a passar o filme do martírio de João. Como pensas viver daqui para a frente: de acordo com a doutrina de Jesus? Ou de acordo com a ditadura imposta pelo mundo? Adaptas o teu viver ao Senhor, ou queres que o Senhor adapte a sua doutrina a ti?

Quanto mais conheceres Jesus, a sua vida e a sua doutrina, mais perto estarás de encontrar a pérola da Felicidade, da Alegria e da Paz. E melhor poderás escolher a tua maneira de viver: na Luz ou nas trevas?

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.