Quinta-Feira Santa

Hoje é dia vinte e quatro de Março, Quinta-Feira Santa.

Este é o dia em que Jesus se oferece como pão e vinho. 
Ele faz-se alimento e oferece-se ao teu serviço lavando-te os pés. 
Saboreia tranquilamente este amor que o Senhor tem por ti. 
Deixa que Ele te lave os pés...
Acolhe tudo aquilo que Ele tem para te dar. 
Para a tua oração de hoje escolhemos palavras do Papa Francisco que te vão ajudar a rezar esta quinta-feira Santa. 
Assim, acompanhado pelas suas palavras, reza esta quinta-feira Santa. 

 

 

«Nesta quinta-feira, Jesus estava à mesa com os discípulos, a celebrar a festa da Páscoa. É neste contexto que hoje se lê o relato do lava-pés no Evangelho de S. João. O gesto levado a cabo por Jesus, na Última Ceia, que agora vais ouvir, é a extrema acção de graças ao Pai pelo seu amor, pela sua misericórdia». 

texto bíblico
Antes da festa da Páscoa, 
sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo para o Pai, 
Ele, que amara os seus que estavam no mundo, 
amou-os até ao fim. 
No decorrer da ceia, 
tendo já o Demónio metido no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, 
a ideia de O entregar, 
Jesus, sabendo que o Pai Lhe tinha dado toda a autoridade, 
sabendo que saíra de Deus e para Deus voltava, 
levantou-Se da mesa, 
tirou o manto e tomou uma toalha, que pôs à cintura. 
Depois, deitou água numa bacia
e começou a lavar os pés aos discípulos
e a enxugá-los com a toalha que pusera à cintura.  

 

A passagem do Evangelho que escutámos contém uma frase que é justamente o centro daquilo que Jesus fez por todos nós: «Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim». O amor de Jesus por nós não tem limites: é sempre mais, sempre mais. Jesus nunca se cansa de amar ninguém. Ama-nos a todos, ao ponto de dar a sua vida por nós. E o amor de Jesus nunca nos decepciona, porque Ele nunca se cansa de amar, como não se cansa de perdoar, nem se cansa de nos abraçar.

Quando chegou a Simão Pedro, este disse-Lhe: 
«Senhor, Tu vais lavar-me os pés?». 
Jesus respondeu: 
«O que estou a fazer, não o podes entender agora, 
mas compreendê-lo-ás mais tarde». 
Pedro insistiu: 
«Nunca consentirei que me laves os pés». 
Jesus respondeu-lhe: 
«Se não tos lavar, não terás parte comigo». 
Simão Pedro replicou: 
«Senhor, então não somente os pés, mas também as mãos e a cabeça». 
Jesus respondeu-lhe: 
«Aquele que já tomou banho está limpo
e não precisa de lavar senão os pés. 
Vós estais limpos, mas não todos». 
Jesus bem sabia quem O havia de entregar. 
Foi por isso que acrescentou: «Nem todos estais limpos».

O gesto é comovente: Jesus lava os pés dos seus discípulos. Tão grande é o seu amor que se faz escravo para nos servir, para nos curar, para nos limpar. E Pedro não compreendia nada, rejeitava o que estava a acontecer. É o exemplo do Senhor: Ele é o mais importante e lava os pés, porque entre nós aquele que está mais elevado deve estar ao serviço dos outros... E isto é um símbolo, um sinal. Lavar os pés significa: “eu estou ao teu serviço”. É isto que Jesus nos ensina e é isto o que eu faço, porque é o meu dever, um dever que me vem do coração. Eu estou realmente disposto a servir, a ajudar o outro?

Depois de lhes lavar os pés, 
Jesus tomou o manto e pôs-Se de novo à mesa. 
Então disse-lhes: 
«Compreendeis o que vos fiz? 
Vós chamais-Me Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque o sou. 
Se Eu, que sou Mestre e Senhor, 
vos lavei os pés, 
também vós deveis lavar os pés uns aos outros. 
Dei-vos o exemplo, 
para que, assim como Eu fiz, vós façais também». 

Na Missa, Palavra e Pão tornam-se uma coisa só, como na Última Ceia, quando todas as palavras de Jesus, todos os sinais que Ele tinha realizado se condensaram no gesto de partir o pão e de oferecer o cálice. A celebração eucarística é muito mais do que um simples banquete: é precisamente o memorial da Páscoa de Jesus, o mistério fulcral da salvação. Quer dizer que cada vez que nós celebramos este Sacramento participamos no mistério da paixão, morte e ressurreição de Cristo.

 

Colóquio final

Em grego, «acção de graças» diz-se «eucaristia». É por isso que o Sacramento se chama Eucaristia: é a suprema acção de graças ao Pai, o qual nos amou a tal ponto que nos ofereceu o seu Filho por amor. No final desta oração, agradece o amor com que Deus cuida de ti. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.