Quinto domingo do Tempo Comum

Hoje, a Igreja celebra o quinto domingo do Tempo Comum. 

Vivemos do ser de Deus, movemo-nos no seu mistério,
tal como uma dança que o bailarino não cessa de interpretar.
É uma presença dinâmica, convergente,
capaz de suscitar a vida e o amor
no seio da nossa história.
Hoje é domingo, o primeiro dia da semana:
recolhe os teus sentidos, dispersos nas correntes das horas,
e encontra-te com o Senhor da tua vida.
Começa assim a tua oração.

 

Hoje, o salmo que vais escutar é um louvor ao Senhor. Com as palavras do salmista, dá também o teu louvor a Deus pelo que Ele é e pelo que faz na tua vida e à tua volta.

[Salmo 146 (147), 1-2.3-4.5-6]
Louvai o Senhor, porque é bom cantar,
é agradável e justo celebrar o seu louvor.
O Senhor edificou Jerusalém,
congregou os dispersos de Israel.

Sarou os corações dilacerados
e ligou as suas feridas.
Fixou o número das estrelas
e deu a cada uma o seu nome.

Grande é o nosso Deus e todo-poderoso,
é sem limites a sua sabedoria.
O Senhor conforta os humildes
e abate os ímpios até ao chão. 

 

Muitas vezes, o louvor não faz parte da nossa relação com Deus. Deixa-te levar pelas palavras do salmo:
- «É agradável e justo celebrar o seu louvor».
- «É sem limites a sua sabedoria».
- «O Senhor conforta os humildes».

Olha para a tua vida, olha à tua volta. Já te apercebeste daquilo que vem de Deus? Uma das ações que o salmo louva é o facto de o Senhor ter congregado os dispersos. Que sentido é que isto faz na tua vida? 

Escuta de novo o salmo e tem presente que o cuidado pelos feridos e pelos humildes – no fundo, o cuidado pelos mais pequenos – é parte da ação de Deus. Entre os grandes feitos da criação são contados também os gestos mais delicados. 
Louva o Senhor pelas pequenas e pelas grandes coisas que fez e continua a fazer. 

Conclui a tua oração dispondo o teu coração para, ao longo da próxima semana, estares vigilante e agires como Deus. No meio das tuas responsabilidades maiores, procura ter cuidado com os pequenos gestos de atenção para com os mais humildes e feridos. 

 

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.