Segunda-feira da nona semana do tempo comum

Hoje é dia trinta de maio, segunda-feira da nona semana do tempo comum.

Amar é vencer o isolamento, é dizer que não podemos sozinhos e precisamos do outro. 
Amar é ver-se e rever-se no outro, percebendo que é ele quem me manifesta aquilo que eu sou. 
Amar é ser no outro... e Deus ama-te totalmente, está totalmente em ti, habita plenamente o teu coração.
Reconhece-te assim tão profundamente amado, com o teu íntimo habitado por Aquele que dá a vida por ti. Assim, vale a pena começares a tua oração. 

 

 

Escuta esta passagem da segunda carta de São Pedro. [L 1 2 Pe 1, 2-7] 

A graça e a paz vos sejam dadas em abundância,
pelo conhecimento de Deus e de Jesus, nosso Senhor.
Jesus, com o seu divino poder,
concedeu-nos tudo o que é necessário à vida e à piedade,
fazendo-nos conhecer Aquele que nos chamou
pela sua glória e virtude.
Assim, entramos na posse das maiores e mais preciosas promessas,
para nos tornarmos participantes da natureza divina,
livres da corrupção que a concupiscência gera no mundo.
Por este motivo, esforçai-vos quanto possível
por juntar à vossa fé a virtude,
à virtude a ciência,
à ciência a temperança,
à temperança a constância,
à constância a piedade,
à piedade o amor fraterno,
ao amor fraterno a caridade.

 

Pontos de oração

A saudação inicial com que o Apóstolo S. Pedro começa a sua carta fala de graça e de paz em abundância. Quem não acolhe a graça de Deus está em “des-graça”; quem não promove a paz tem o coração sempre perturbado.
Que graça de Deus precisas de pedir, neste momento, para viveres mais pacificado interiormente?

S. Pedro elenca os dons recebidos de Deus: a fé, a virtude, a ciência, a temperança, a constância, a piedade, o amor fraterno e a caridade. Mas acrescenta que estes dons são também fruto do esforço.
Se é verdade que não se vive nenhuma virtude sem esforço, como te exercitas para seres mais parecido com Jesus?

Escuta novamente a Carta de S. Pedro e deixa-te contagiar pelas suas palavras de esperança.

 

Colóquio final

O Apóstolo Pedro diz que é tornando-se participante da natureza divina que se entra na posse das promessas de Deus. Quer isto dizer que quem põe em prática a mensagem de Jesus se torna parecido com Ele. 
Ao terminares estes minutos de oração, dispõe-te a imitar Jesus no dia a dia.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.