Segunda-feira da primeira semana do Advento

Hoje é dia quatro de dezembro, segunda-feira da primeira semana do Advento.

Poderá o Advento ser um tempo propício
à descoberta da esperança nos contextos mais difíceis e fechados?
Hoje, começa a tua oração com estas palavras da judia Etty Hillesum, 
escritas junto ao arame farpado de um campo de concentração:
«Deus meu, fizeste-me tão rica,
deixa-me, por favor, partilhar generosamente essa riqueza.
A minha vida tornou-se um diálogo ininterrupto contigo, meu Deus,
um grande diálogo.
Quando estou em algum canto do campo, 
de pés plantados na tua terra
e os olhos levantados para o teu céu,
há alturas em que me correm lágrimas pelas faces,
brotadas de uma comoção e gratidão interiores».

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 8, 5-11]

Ao entrar Jesus em Cafarnaum,
aproximou-se d’Ele um centurião,
que Lhe suplicou, dizendo:
«Senhor, o meu servo jaz em casa paralítico
e sofre horrivelmente».
Disse-lhe Jesus: «Eu irei curá-lo».
Mas o centurião respondeu-Lhe:
«Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa;
mas diz uma só palavra e o meu servo ficará curado.
Porque eu, que não passo dum subalterno,
tenho soldados sob as minhas ordens:
digo a um ‘Vai’ e ele vai; a outro ‘Vem’ e ele vem;
e ao meu servo ‘Faz isto’ e ele faz».
Ao ouvi-lo, Jesus ficou admirado e disse àqueles que O seguiam:
«Em verdade vos digo:
Não encontrei ninguém em Israel com tão grande fé.
Por isso vos digo:
Do Oriente e do Ocidente virão muitos sentar-se à mesa,
com Abraão, Isaac e Jacob, no reino dos Céus». 

 

Pontos de oração

Começaste ontem a tua caminhada rumo ao Natal. Advento é o tempo da espera e da escuta da Palavra que prepara a vinda do Deus Menino. A atitude dominante deve ser a vigilância, a atenção aos pormenores nos quais Deus se manifesta. 
Como o centurião do Evangelho, é preciso estar atento à passagem de Jesus. 

Jesus mostra-Se disponível para ir curar o servo doente. Admirado, o centurião testemunha a sua fé em Jesus com palavras extraordinárias. Tão extraordinárias que vieram a ser adotadas para a celebração da eucaristia, no momento da comunhão: «Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada; mas dizei uma palavra e serei salvo». 
Repete esta frase várias vezes, consciente de que só Jesus pode trazer a salvação.

Aquele que se aproxima de Jesus é um pagão, um soldado do exército romano. O que move inicialmente o centurião é o sofrimento do servo doente. Como resposta, Jesus elogia a fé deste estrangeiro que acredita no poder curativo de Deus. 
Escuta uma segunda vez o Evangelho e deixa-te admirar com tão grande fé.

 

Colóquio final

A Palavra de Jesus tem uma força criadora. Ao centurião cabe cuidar do servo paralítico; a Jesus compete curar a doença. 
Reza por aqueles que vivem a teu lado e sofrem no corpo ou no espírito e entrega-os a Jesus.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.