Segunda-feira, oitavo dia do Tempo do Natal

Hoje é dia vinte e quatro de dezembro, segunda-feira, oitavo dia da novena do Natal.

“Hoje nasceu o nosso Salvador, Jesus Cristo, Senhor”. Antecipamos já a noite santa de Natal, acolhendo com estranheza o anúncio inesperado: o tempo chegou ao seu termo, os gritos do povo encontram resposta e as visões dos profetas estão a cumprir-se: Deus fez-Se Deus-connosco e veio habitar entre nós. Anúncio estranho, porque aparentemente nada mudou, o mundo segue igual.
Neste oitavo dia da novena do Natal, D. Nuno Almeida escolhe as palavras para te mostrar que, afinal, o mundo já mudou radicalmente. Aguarda este anúncio... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 2, 1-14]

Naqueles dias saiu um decreto de César Augusto,
para ser recenseada toda a terra.
Este primeiro recenseamento efetuou-se
quando Quirino era governador da Síria.
Todos se foram recensear, cada um à sua cidade.
José subiu também da Galileia, da cidade de Nazaré,
à Judeia, à cidade de David, chamada Belém,
por ser da casa e da descendência de David,
a fim de se recensear com Maria, sua esposa, que estava para ser mãe.
Enquanto ali se encontravam,
chegou o dia de ela dar à luz e teve o seu Filho primogénito.
Envolveu-O em panos e deitou-O numa manjedoura,
porque não havia lugar para eles na hospedaria.
Havia naquela região uns pastores que viviam nos campos
e guardavam de noite os rebanhos.
O Anjo do Senhor aproximou-se deles,
e a glória do Senhor cercou-os de luz;
e eles tiveram grande medo.
Disse-lhes o Anjo: «Não temais,
porque vos anuncio uma grande alegria para todo o povo:
nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Salvador,
que é Cristo Senhor
Isto vos servirá de sinal:
encontrareis um Menino recém-nascido,
envolto em panos e deitado numa manjedoura».
Imediatamente juntou-se ao Anjo
uma multidão do exército celeste,
que louvava a Deus, dizendo:
«Glória a Deus nas alturas
e paz na terra aos homens por Ele amados».

“Completaram-se os dias de Maria dar à luz e teve o seu Filho primogénito, que envolveu em panos e recostou numa manjedoura”.

A festa do Natal é a revelação do Amor, através de um Menino! O mundo, esmorecido, pode recomeçar, confiando no nascimento de um Menino que nos renova a esperança.
Que coisa admirável! Este Menino é a revelação de um Deus que é Pai, Amor: um dom oferecido a todos.
Deus não Se envergonhou de Se fazer um de nós.

Olhando para Maria, José e os pastores, podes ser amor para encher os vazios de amor que existem no mundo. Basta uma saudação, um sorriso, um silêncio, um perdão e a alegria inundará os corações.
Presépios vivos são famílias e comunidades unidas e reunidas no amor verdadeiro. É neste berço que Maria quer de novo colocar o seu Filho para nos iluminar. Neste Menino sentimos Deus ao nosso lado, Deus connosco.

Os pastores vieram, correndo.
Correndo, gastamos nós a vida
para conseguir o que ansiamos.
Se chegássemos junto de Ti ofegantes
com certeza que nos mostrarias
que Tu és a calma e a paz.
O presépio é o lugar da primeira mensagem,
é a marca do teu estilo: és simples e pequeno!
Nós que pensamos que somos o que temos,
temos de aprender Contigo
que viver é ser pobre e necessitar o menos possível.
Faz-nos humildes e simples como os pastores.
Como tua Mãe, faz-nos guardar tudo no coração.

Glória a Deus e paz na terra! Aleluia.