Segunda-feira, sétimo dia da Oitava do Natal

Hoje é dia trinta e um de dezembro, segunda-feira, sétimo dia da oitava do Natal.

Considera as muitas graças que vais recebendo de Deus, em cada dia.
Não te fiques em ideias abstratas.
Tenta dar nome a alguma dessas graças
e deixa crescer no teu interior a compreensão do que é uma graça:
algo que recebes gratuitamente,
que te é dado por amor,
só por amor.
É assim que Deus age contigo, sempre:
dá e dá-Se por amor.
Agradece ao Senhor o ano que hoje termina e que recebeste do seu amor...
e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 1, 1-18]

No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus.
No princípio, Ele estava com Deus.
Tudo se fez por meio d’Ele e sem Ele nada foi feito.
N’Ele estava a vida e a vida era a luz dos homens.
A luz brilha nas trevas e as trevas não a receberam.
Apareceu um homem enviado por Deus, chamado João.
Veio como testemunha,
para dar testemunho da luz,
a fim de que todos acreditassem por meio dele.
Ele não era a luz,
mas veio para dar testemunho da luz.
O Verbo era a luz verdadeira,
que, vindo ao mundo, ilumina todo o homem.
Estava no mundo e o mundo, que foi feito por Ele, não O conheceu.
Veio para o que era seu e os seus não O receberam.
Mas àqueles que O receberam e acreditaram no seu nome,
deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus.
Estes não nasceram do sangue,
nem da vontade da carne, nem da vontade do homem,
mas de Deus.
E o Verbo fez-Se carne e habitou entre nós.
Nós vimos a sua glória,
glória que Lhe vem do Pai como Filho Unigénito,
cheio de graça e de verdade.
João dá testemunho d’Ele, exclamando:
«Era deste que eu dizia:
‘O que vem depois de mim passou à minha frente,
porque existia antes de mim’».
Na verdade, foi da sua plenitude que todos nós recebemos graça sobre graça.
Porque, se a Lei foi dada por meio de Moisés,
a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo.
A Deus, nunca ninguém O viu.
O Filho Unigénito, que está no seio do Pai, é que O deu a conhecer.

“O Verbo fez-Se carne e habitou entre nós”. Aqui reside a absoluta novidade do amor de Deus. A esta luz tudo deve ser compreendido.
Faz o teu exame de consciência: como cresceu em ti, à imitação de Cristo, a caridade concreta?

O princípio e o fim unificam-se n’Aquele que é a imagem perfeita do Pai e que nós podemos conhecer na graça do Espírito Santo.
Jesus é realmente o único Senhor da tua vida? Por Ele, com Ele e n’Ele, tu és quem és. Agradece em paz.

Luz, vida, palavra, carne, glória, graça, verdade. Deixa ressoar no teu coração cada palavra deste Hino sublime, o Prólogo do Evangelho de S. João.
Recebes Jesus como teu Deus e teu irmão, em cada rosto, em cada mão, em cada pobre?

Termina a tua oração conversando com o Senhor sobre o mundo que te rodeia, que O recebe e O rejeita. Pede-Lhe a graça de caminhares na sua presença, de seres testemunha da Luz que Ele é.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.