Segunda-feira da primeira semana da Quaresma

Hoje é dia onze de março, segunda-feira da primeira semana da quaresma.

Onde estiveres,
procura encontrar o melhor equilíbrio entre o ambiente que te rodeia
e o teu desejo de ficar com Deus.
Não deixes que este desejo seja posto em causa
pelas solicitações exteriores ou interiores
que querem prender a tua atenção.
Deixa o desejo de Deus preencher-te
ou pede ao Senhor que te conceda este desejo e te ajude a crescer nele.
E começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 25, 31-46]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Quando o Filho do homem vier na sua glória com todos os seus Anjos,
sentar-Se-á no seu trono glorioso.
Todas as nações se reunirão na sua presença e Ele separará uns dos outros,
como o pastor separa as ovelhas dos cabritos;
e colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda.
Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita:
‘Vinde, benditos de meu Pai;
recebei como herança o reino que vos está preparado desde a criação do mundo.
Porque tive fome e destes-Me de comer; tive sede e destes-Me de beber;
era peregrino e Me recolhestes; não tinha roupa e Me vestistes;
estive doente e viestes visitar-Me; estava na prisão e fostes ver-Me’.
Então os justos Lhe dirão:
‘Senhor, quando é que Te vimos com fome e Te demos de comer,
ou com sede e Te demos de beber?
Quando é que Te vimos peregrino e Te recolhemos,
ou sem roupa e Te vestimos?
Quando é que Te vimos doente ou na prisão e Te fomos ver?’.
E o Rei lhes responderá: ‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes’.
Dirá então aos que estiverem à sua esquerda:
‘Afastai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno,
preparado para o diabo e os seus anjos.
Porque tive fome e não Me destes de comer; tive sede e não Me destes de beber;
era peregrino e não Me recolhestes; estava sem roupa e não Me vestistes;
estive doente e na prisão e não Me fostes visitar’.
Então também eles Lhe hão de perguntar:
‘Senhor, quando é que Te vimos com fome ou com sede,
peregrino ou sem roupa, doente ou na prisão, e não Te prestámos assistência?’
E Ele lhes responderá:
‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o deixastes de fazer
a um dos meus irmãos mais pequeninos, também a Mim o deixastes de fazer’.
Estes irão para o suplício eterno e os justos para a vida eterna».

"Quando o Filho do homem vier na sua glória com todos os seus Anjos, sentar-Se-á no seu trono glorioso. Todas as nações se reunirão na sua presença".
Ao leres esta primeira frase do Evangelho de hoje, pode ser que te venha à ideia a imagem de um poder, uma majestade, uma imponência, uma riqueza enormes.

A grandeza do Rei de que fala o Evangelho de hoje é a grandeza de Jesus que te é mostrada ao longo dos Evangelhos, feita da simplicidade e da humildade que caracterizam o Amor.
É assim o Reino para o qual o Senhor te convida já nesta vida. Estás disponível para entrar nele?

Escuta de novo o Evangelho. Talvez te perguntes: de que lado o Pastor me irá sentar? Mas, reconhecendo a maneira como amaste, como te entregaste a Deus nos outros e como perdoaste, depressa compreenderás que serás tu próprio, ao chegar a tua última hora, a saber qual o teu lado.

Quando, Senhor? Quanto foi que tiveste frio e eu Te agasalhei? Quando, Senhor? Quando foi que Te soube na cadeia, doente ou só e não Te visitei?” À tua mente virão todas as ocasiões de que fala este texto, não precisarás que o Senhor tas mostre. A tua consciência tem a resposta escondida no mais fundo de ti. “Quando, Senhor?

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.