Segunda-feira da quarta semana da Quaresma

Hoje é dia doze de março, segunda-feira da quarta semana da Quaresma.

A oração alimenta-se dos sinais
que na nossa vida traçam o caminho do amor.
Por isso, a sua ausência
pode fragilizar o nosso desejo de encontro com o Senhor.
Nestas ocasiões, não deixes de clamar
para que o Senhor desça ao teu encontro,
não de um céu distante ou infinito,
mas da verdade mais profunda
que habita em ti.

 

Escuta esta passagem do Livro do Profeta Isaías. [L1 Is 65, 17-21]

«Eu vou criar os novos céus e a nova terra
e não mais se recordará o passado,
nem voltará de novo ao pensamento.
Haverá alegria e felicidade eterna
por aquilo que Eu vou criar:
vou fazer de Jerusalém um motivo de júbilo
e do seu povo uma fonte de alegria.
Exultarei por causa de Jerusalém
e alegrar-Me-ei por causa do meu povo.
Nunca mais se hão de ouvir nela vozes de pranto
nem gritos de angústia.
Já não haverá ali uma criança que viva só alguns dias,
nem um velho que não complete o número dos seus anos,
porque o mais novo morrerá centenário
e quem não chegar aos cem anos terá incorrido em maldição.
Construirão casas e habitarão nelas;
plantarão vinhas e comerão os seus frutos». 

 

«Eu vou criar», diz o texto. 
Deus é fiel à sua aliança, refaz constantemente os laços que te unem a Ele. Reconstrói constantemente os lugares destruídos da tua vida. 
Reconhece o que em ti precisa de ser reconstruído e pede a Deus que te encha do seu espírito criador. 

Deus deseja encher de alegria a tua vida, convida-te a contemplar os sinais de alento. Agradece a Deus as marcas concretas da sua presença na tua vida. 

Ao ouvires de novo o texto de Isaías, repara como Deus se implica na vida do seu povo. Experimenta sobre ti esse mesmo olhar de júbilo. Deus alegra-Se pela tua vida. 

Ao terminares a tua oração, pede ao Senhor a graça de uma alegria verdadeira, enraizada na certeza de que Ele nunca te abandona. 

 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.