Segunda-feira da quarta semana do Tempo Pascal

Hoje é dia vinte e três de abril, segunda-feira da quarta semana do Tempo Pascal.

O Tempo Pascal é, por excelência, 
um tempo de memória, de trazer para o nosso presente
o testemunho das maravilhas passadas.
Tal foi a pedagogia de Israel, celebrando o êxodo
e a libertação do Egito;
e tal foi o caminho dos primeiros discípulos,
ao reconhecerem nas palavras e sinais de Jesus
a presença encarnada de Deus.
Que a tua oração se inscreva também nesta sabedoria,
capaz de dar luz aos passos dos teus dias.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 10, 1-10]

Disse Jesus:
«Em verdade, em verdade vos digo:
Aquele que não entra no aprisco das ovelhas pela porta,
mas entra por outro lado,
é ladrão e salteador.
Mas aquele que entra pela porta é o pastor das ovelhas.
O porteiro abre-lhe a porta
e as ovelhas conhecem a sua voz.
Ele chama cada uma delas pelo seu nome e leva-as para fora.
Depois de ter feito sair todas as que lhe pertencem,
caminha à sua frente
e as ovelhas seguem-no, porque conhecem a sua voz.
Se for um estranho, não o seguem, mas fogem dele,
porque não conhecem a voz dos estranhos».
Jesus apresentou-lhes esta comparação,
mas eles não compreenderam o que queria dizer.
Jesus continuou: «Em verdade, em verdade vos digo:
Eu sou a porta das ovelhas.
Aqueles que vieram antes de Mim são ladrões e salteadores,
mas as ovelhas não os escutaram.
Eu sou a porta.
Quem entrar por Mim será salvo:
é como a ovelha que entra e sai do aprisco e encontra pastagem.
O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir.
Eu vim para que as minhas ovelhas tenham vida
e a tenham em abundância». 

 

Rezar é parar, mas é, também, pôr-se a caminho e escutar. Tenta escutar, como as ovelhas escutam o seu pastor. Ouve uma voz que chama, que congrega, que cuida, que ama. É a voz de Deus... 

Jesus apresenta-Se como Mestre e guia, como o (Bom) Pastor do rebanho que é o povo de Deus. O Pastor, Jesus Cristo, tem um amor universal e particular por cada um dos membros do seu rebanho. 
Jesus quer que tenhas vida. Não uma vida qualquer, mas uma vida de abundância. 

A vida de abundância representa também a vitória sobre a morte, experimentada pelo próprio Jesus. Pergunta-te se a tua vida espelha a abundância que Jesus quer para nós. Faz do tempo, do espaço e dos teus gestos abundância para os teus irmãos. 

 

Agradecido por este tempo de paragem e meditação, pede a Deus que te dês conta da sua abundância na tua vida... e que sejas tu mesmo parte da abundância da vida nos outros. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.