Segunda-feira da segunda semana da Quaresma

Hoje é dia vinte e seis de fevereiro, segunda-feira da segunda semana da Quaresma.

A Páscoa de Jesus está no nosso horizonte,
é a ela que contemplamos quando elevamos o nosso olhar
ao longo do caminho.
Mas ela precede-nos, vem ter connosco, acompanha-nos,
como aos discípulos de Emaús.
E a nossa vida vai-se transformando, 
a nossa mente vai-se renovando,
de modo silencioso e irreversível, 
como a semente que cai à terra e dá o seu fruto.
Que a oração seja, nos teus dias,
o espaço e o canto do homem novo.  

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 6, 36-38]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Sede misericordiosos,
como o vosso Pai é misericordioso.
Não julgueis e não sereis julgados.
Não condeneis e não sereis condenados.
Perdoai e sereis perdoados.
Dai e dar-se-vos-á:
deitar-vos-ão no regaço uma boa medida,
calcada, sacudida, a transbordar.
A medida que usardes com os outros
será usada também convosco». 

 

A misericórdia é o modo de ser e de agir do nosso Deus. São Lucas explica muito bem em que consiste: não julgar, não condenar, dar, perdoar. A tua regra de vida, o mandamento da caridade, é o Amor que só Deus é.

Não te podes contentar com menos: «Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso»! Não se trata de um ideal irrealizável, mas da imitação diária de Cristo. É Ele o único absoluto amor da tua vida. 

Dar não chega. É preciso dar-se. Dar-se não chega. É preciso dar-se “a transbordar”. Perdoar é ser assim, deixar-se receber gratuitamente pelo amor do Pai. 
Costumas pedir a Jesus, na oração, a graça de perdoar?

Termina a tua oração conversando com o Senhor sobre o teu desejo de O escutares, de te afeiçoares à sua humildade, de consolares os pobres, de fazeres o bem como Ele faz.

 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.