Segunda-feira da terceira semana do Advento

Hoje é dia doze de dezembro, segunda-feira da terceira semana do Advento.

De Giovanni Legrenzi estás a escutar a sonata La Zabarella.

Deus tem uma mensagem para ti! Ele quer falar-te. Mas não encontrarás essa mensagem escrita nas estrelas nem a conseguirás escutar no meio dos ruídos do mundo. Deus fala-te no silêncio do teu coração e as suas palavras são para ti. 
Coloca-te em atitude de escuta. Faz silêncio dentro de ti para que a sua voz se possa fazer sentir na oração que agora começas. Pede-lhe que abra o teu coração à sua Palavra.
Assim, vale a pena começares a tua oração. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 21, 23-27] 

Jesus foi ao templo
e, enquanto ensinava, 
aproximaram-se d’Ele os príncipes dos sacerdotes
e os anciãos do povo, que Lhe perguntaram: 
«Com que autoridade fazes tudo isto? 
Quem Te deu tal direito?» 
Jesus respondeu-lhes:
«Vou fazer-vos também uma pergunta
e, se Me responderdes a ela, 
dir-vos-ei com que autoridade faço isto. 
Donde era o batismo de João? Do Céu ou dos homens?» 
Mas eles começaram a deliberar, dizendo entre si:
«Se respondermos que é do Céu, vai dizer-nos: 
‘Porque não lhe destes crédito?’ 
E se respondermos que é dos homens, ficamos com receio da multidão, 
pois todos consideram João como profeta». 
E responderam a Jesus: 
«Não sabemos». 
Ele por sua vez disse-lhes: 
«Então não vos digo com que autoridade faço isto».

 

Pontos de oração

O Evangelho de hoje revela a inteligência argumentativa de Jesus: às perguntas inquisidoras dos seus opositores responde com outra pergunta, deixando-os presos na própria armadilha. Ou seja, Jesus não Se deixa manietar por quem o aborda; coloca-Se a outra altura, à altura de Si mesmo. 

“Prudentes como as serpentes, simples como as pombas”, tinha dito Jesus. Pois aqui aprendemos a fazê-lo como Ele: a devolver as perguntas ou a oferecer o nosso silêncio. É que há perguntas que não merecem a nossa atenção; há provocações que não merecem resposta; há conversas que não merecem ser alimentadas. 

Ao ouvir de novo o Evangelho, tenta pôr-te na posição de Jesus para perceberes o que estava a pensar, o que estava a sentir, como dispôs a sua atenção para ver o que estava a acontecer. 

 

Colóquio final

Pede ao Senhor a graça da prudência e da simplicidade, para desenvolveres nas conversas aquilo que for mais útil e construtivo. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.