Segunda-feira da trigésima primeira semana do Tempo Comum

Hoje é dia trinta e um de Outubro, segunda-feira da trigésima primeira semana do Tempo Comum. 

Procura descobrir a fonte de onde brota o desejo de te encontrares com Deus
na oração. 
Seja qual for essa fonte, 
procura que ela alimente sempre mais a tua relação de amizade com o Senhor. 
Afinal, como dizia Santa Teresa de Jesus,
é disto que trata a oração: 
conversar com alguém que sabemos que nos ama. 
Isto é o mais importante: 
o encontro pessoal, 
a relação amiga, 
saber que estás com o teu Deus e que este é um amigo que tem um rosto.
Com esta certeza no teu coração, dá início à tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 14, 12-14]

Disse Jesus a um dos principais fariseus,
que O tinha convidado para uma refeição:
«Quando ofereceres um almoço ou um jantar,
não convides os teus amigos nem os teus irmãos, 
nem os teus parentes nem os teus vizinhos ricos, 
não seja que eles por sua vez te convidem
e assim serás retribuído.
Mas quando ofereceres um banquete,
convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos; 
e serás feliz por eles não terem com que retribuir-te: 
ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos». 

 

Pontos de oração

As refeições à volta da mesa eram, para Jesus, ocasiões ótimas para ensinar e questionar. À mesa, Jesus chama a atenção para o desejo que temos de ocupar os primeiros lugares. Fala também do tipo de pessoas que normalmente convidamos e das intenções com que o fazemos. Há convites interesseiros e convites desinteressados. Qual destes convites acontece mais na tua vida? 

Jesus convida a romper com o círculo fechado do grupinho de amigos. Pede que se convidem os excluídos. Claro que isto não era costume, nem hoje tão pouco se pratica. Mas Jesus sabe que o convite desinteressado a estas pessoas traz felicidade. “Serás feliz por eles não terem com que retribuir-te”. Acreditas nestas palavras de Jesus? 

Ao escutares de novo este evangelho, fixa-te nessa felicidade estranha que Jesus anuncia. É a semente da felicidade do próprio Deus, que Ele dá gratuitamente. E isso é já começo da ressurreição. 

 

Colóquio final

Ao terminares a tua oração, pede a Jesus que te ensine a prestar uma atenção especial às pessoas que vivem nas periferias, como nos lembra o Papa Francisco. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.