Segunda-feira da vigésima nona semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e três de Outubro, segunda-feira da vigésima nona semana do Tempo Comum.

A oração é o sinal
das possibilidades e talentos que cada dia te proporciona.
Hoje, começa a tua oração
com o seguinte conselho de Macário,
monge egípcio do século quarto:
«Cada dia, desde que te levantas, 
começa de novo a viver em toda a virtude e nos preceitos de Deus, 
com grande paciência e misericórdia, 
no temor e amor de Deus e dos homens, 
com humildade de coração». 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 12, 13-21]

Alguém, do meio da multidão, disse a Jesus:
«Mestre, diz a meu irmão que reparta a herança comigo».
Jesus respondeu-lhe:
«Amigo, quem Me fez juiz ou árbitro das vossas partilhas?».
Depois disse aos presentes:
«Vede bem, guardai-vos de toda a avareza:
a vida de uma pessoa não depende da abundância dos seus bens».
E disse-lhes esta parábola:
«O campo dum homem rico tinha produzido excelente colheita.
Ele pensou consigo:
‘Que hei de fazer,
pois não tenho onde guardar a minha colheita?
Vou fazer assim:
Deitarei abaixo os meus celeiros para construir outros maiores,
onde guardarei todo o meu trigo e os meus bens.
Então poderei dizer a mim mesmo:
Minha alma, tens muitos bens em depósito para longos anos.
Descansa, come, bebe, regala-te’.
Mas Deus respondeu-lhe:
‘Insensato! Esta noite terás de entregar a tua alma.
O que preparaste, para quem será?’.
Assim acontece a quem acumula para si,
em vez de se tornar rico aos olhos de Deus». 

 

Pontos de oração

O Senhor não quer dar-te a solução acabada dos teus problemas, tal como nesta passagem não quis tratar destas partilhas. Mas quer que cultives a atitude certa: e previne-te contra a avareza, o egoísmo e a ganância.

Não queiras acumular para ti, não sejas excessivamente precavido com o teu futuro. Antes de ti, têm de estar os outros. E, sobretudo, tem de estar o Senhor. Afinal, só Ele comanda a tua vida. O grande investimento é que te tornes “rico aos olhos de Deus”.

Provavelmente, já te perguntaste se faz sentido o esforço de tantos que se preocupam com ardor em preparar um fim de vida descansado e tranquilo. Talvez encontres uma orientação ao ouvir de novo o Evangelho.

 

Colóquio final

Se “a vida de uma pessoa não depende da abundância dos seus bens”, porque não experimentas dar uma esmola generosa, quando tiveres oportunidade?

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.