Segunda-feira da vigésima oitava semana do tempo comum

Hoje é dia dez de outubro, segunda-feira da vigésima oitava semana do tempo comum.

Ser cristão é aderir a uma pessoa: Jesus Cristo.
A fé acontece neste encontro,
porque Jesus é alguém no qual se pode confiar
e em quem vale a pena apostar a vida.
Rezar é o modo mais pessoal de dar continuidade a este encontro com Jesus. 
Hoje, procura rezar a história da tua fé,
de onde partiste e onde te encontras.
Acredita que esta história, com os seus altos e baixos, 
é uma aventura que vale a pena... e começa assim a tua oração.  

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 11, 29-32]

Uma grande multidão aglomerava-se à volta de Jesus
e Ele começou a dizer:
«Esta geração é uma geração perversa:
pede um sinal,
mas nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal de Jonas.
Assim como Jonas foi um sinal para os habitantes de Nínive,
assim o será também o Filho do homem para esta geração.
No juízo final,
a rainha do sul levantar-se-á com os homens desta geração
e há de condená-los,
porque veio dos confins da terra
para ouvir a sabedoria de Salomão;
e aqui está quem é maior do que Salomão.
No juízo final,
os homens de Nínive levantar-se-ão com esta geração
e hão de condená-la,
porque fizeram penitência ao ouvir a pregação de Jonas;
e aqui está quem é maior do que Jonas». 

 

Pontos de oração

Jesus diz às multidões que são uma geração perversa porque querem sinais mas não acreditam nos sinais que Ele faz, nas manifestações da sua divindade, nos seus milagres, nas suas curas, no perdão dos pecados. 
Tu, pelo contrário, acreditas.

Acreditas em Jesus, mas até que ponto? Acreditas quando estás aflito, lembras-te de Jesus quando estás muito contente ou tens tendência a esquecê-Lo nessas ocasiões? Reza agora sobre isso.

Ouve o Evangelho outra vez. Imagina a tristeza de Jesus perante aquela multidão incrédula.

 

Colóquio final

No final desta oração, expressa a Jesus a tua vontade de não O abandonares, de não deixares de acreditar, de não te deixares distrair nem pelas alegrias nem pelas tristezas.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.