Segunda-feira da vigésima oitava semana do Tempo Comum

Hoje é dia dezasseis de Outubro, segunda-feira da vigésima oitava semana do Tempo Comum.

Estás prestes a iniciar o teu momento de oração.
Vive-o como um tempo de respiro,
a possibilidade de uma paragem,
de um silêncio, 
de uma ocasião de graça
no seio do teu dia.
Liberta os teus pulmões, respira profundamente;
e liberta também a tua mente e o teu coração,
acolhendo uma Palavra de paz.
Começa assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 11, 29-32]

Aglomerava-se uma grande multidão à volta de Jesus
e Ele começou a dizer:
«Esta geração é uma geração perversa:
pede um sinal,
mas nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal de Jonas.
Assim como Jonas foi um sinal para os habitantes de Nínive,
assim o será também o Filho do homem para esta geração.
No juízo final,
a rainha do sul levantar-se-á com os homens desta geração
e há de condená-los,
porque veio dos confins da terra
para ouvir a sabedoria de Salomão;
e aqui está quem é maior do que Salomão.
No juízo final,
os homens de Nínive levantar-se-ão com esta geração
e hão de condená-la,
porque fizeram penitência ao ouvir a pregação de Jonas;
e aqui está quem é maior do que Jonas». 

 

Pontos de oração

Este desejo de ver um sinal parece-te um abuso, não é verdade? Mas olha bem para ti e pensa se às vezes não fazes a mesma figura. E queres – exiges! – um sinal de Deus como condição para ajudar alguém, para mudar de vida, para te entregares à vocação a que Deus te chamou.

Aprende a dar importância aos sinais que Deus espalha em ti e à tua volta: esse imprevisto, aquele gesto do teu familiar, essa doença inesperada, talvez essa paisagem ou esse som, aquelas pegadas... E a vida daquele santo, a frase bíblica deste dia e o que o Senhor te disse sem palavras quando O comungaste.

Qual é o maior sinal de todos? Onde vamos encontrar quem seja maior que os outros? O Evangelho vai responder: às tuas perguntas, e – melhor ainda – a toda a tua vida.

 

Colóquio final

Não ponhas condições ao Senhor. Mas, porque és como uma criança pequena diante d’Ele, não tenhas problemas se te saírem pedidos grandiosos e estouvados.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.