Segunda-feira da vigésima segunda semana do tempo comum

Hoje é dia dois de setembro, segunda-feira da vigésima segunda semana do tempo comum.

Cada dia, o Senhor vem ao teu encontro. Ele deseja ficar contigo e guardar-te na sua paz. A oração é a tua resposta a este desejo do Senhor. Quanto maior for a tua sensibilidade à presença de Deus, mais e melhor és capaz de rezar – sabendo sempre que também a oração é dom de Deus, graça não merecida, à qual respondes o melhor que podes. Hoje, pede ao Senhor a graça de uma oração mais atenta à sua Palavra, feita desejo de O escutar e de levar para a vida o que rezas... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 4, 16-30]

Jesus foi a Nazaré, onde Se tinha criado. Segundo o seu costume, entrou na sinagoga a um sábado e levantou-Se para fazer a leitura. Entregaram-Lhe o livro do profeta Isaías e, ao abrir o livro, encontrou a passagem em que estava escrito: «O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para anunciar a boa nova aos pobres. Enviou-me a proclamar a redenção aos cativos e a vista aos cegos, a restituir a liberdade aos oprimidos, a proclamar o ano da graça do Senhor». Depois enrolou o livro, entregou-o ao ajudante e sentou-Se. Estavam fixos em Jesus os olhos de toda a sinagoga. Começou então a dizer-lhes: «Cumpriu-se hoje mesmo esta passagem da Escritura que acabais de ouvir». Todos davam testemunho em seu favor e se admiravam das palavras cheias de graça que saíam da sua boca. E perguntavam: «Não é este o filho de José?». Jesus disse-lhes: «Por certo Me citareis o ditado: ‘Médico, cura-te a ti mesmo’. Faz também aqui na tua terra o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum». E acrescentou: «Em verdade vos digo: Nenhum profeta é bem recebido na sua terra. (...).» Ao ouvirem estas palavras, todos ficaram furiosos na sinagoga. Levantaram-se, expulsaram Jesus da cidade e levaram-No até ao cimo da colina sobre a qual a cidade estava edificada, a fim de O precipitarem dali abaixo. Mas Jesus, passando pelo meio deles, seguiu o seu caminho.

Jesus fechou o livro e disse: “Hoje mesmo se cumpriu esta escritura que acabaste de ouvir”. Ou seja, n'Ele se realizaria este Evangelho. Ele assume na sua carne, na sua vida o que acabara de ler. Pela ação do Espírito Santo, Jesus iria anunciar, curar, salvar, servir.

Também a ti, Jesus chama-te a anunciar a Boa Nova aos pobres de sabedoria, de Amor, àqueles que não sabem onde encontrar Jesus, que não sabem como viver a autêntica Felicidade. E também a libertar os prisioneiros, os que estão amarrados aos prazeres, aos convites do mundo e à vida fácil.

Ao voltares a ouvir esta passagem do Evangelho, vais sentir-te implicado com Jesus e com a sua obra, o que te irá dar uma liberdade, uma alegria e uma Paz difíceis de conseguir no que o mundo te oferece. Serás companheiro de Jesus no mais sublime da sua obra: o serviço. E serás feliz.

Neste texto há uma frase de Jesus que te dará uma grande força para a tua vida. Quando atacaram Jesus, quando O insultaram, quando O queriam lançar do monte abaixo, diz o Evangelho que “Jesus passou pelo meio deles e seguiu o seu caminho”. Jesus não Se deixa amedrontar, não discute, não tem medo – Ele segue o seu caminho para o Pai. E tu farás como Ele.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.