Segunda-feira da vigésima terceira semana do Tempo Comum

Hoje é dia cinco de setembro, segunda-feira da vigésima terceira semana do Tempo Comum. 

Rezar não significa fugir dos problemas de cada dia. Pelo contrário, significa escolher não estar sozinho diante da nossa história, mas unido à força da verdade e do Amor que está em Deus. 
Diante dos desafios de cada dia, sabes que podes contar com o Senhor, que Ele nunca te abandona. Sabes que O podes invocar a cada momento para que te dê a graça que mais precisas para enfrentar as dificuldades. 
Assim, com o coração cheio de confiança, vale a pena começares a tua oração. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 6, 6-11]

Jesus entrou numa sinagoga a um sábado e começou a ensinar.
Estava lá um homem com a mão direita paralítica. 
Os escribas e fariseus observavam Jesus,
para verem se Ele ia curar ao sábado
e encontrarem assim um pretexto para O acusarem. 
Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos,
disse ao homem que tinha a mão paralítica:
«Levanta-te e põe-te de pé, aí no meio».
O homem levantou-se e ficou de pé.
Depois Jesus disse-lhes:
«Eu pergunto-vos se é permitido ao sábado fazer bem ou fazer mal,
salvar a vida ou tirá-la».
Então, olhou para todos à sua volta e disse ao homem:
«Estende a mão».
Ele assim fez e a mão ficou curada.
Os escribas e fariseus ficaram furiosos e começaram a falar entre si
do que haviam de fazer a Jesus. 

 

Pontos de oração

A liberdade de Jesus choca os seus contemporâneos. Provoca indignação e revolta. No entanto, a liberdade de Jesus perante alguns preceitos da Lei judaica não significa que os considere pouco importantes ou até dispensáveis. Diz-nos, antes, que Jesus os integra tendo como referência primeira, a qual tudo coloca no seu devido lugar, que Deus é amor. É a certeza deste amor que O leva a agir. E a ti, o que te move?

És livre como Jesus ou estás preso a medos, a aparências, a expectativas, a desejos que te escravizam? A liberdade e a felicidade seguem a par. Quanto mais livre estiver o teu coração de tudo o que o subjuga e oprime, mais capaz serás de escutar e acolher a vontade do Pai que te fará, essa sim, profundamente feliz. 

Ao escutares de novo esta passagem do evangelho de Lucas imagina que és um dos discípulo de Jesus e acolhe o clima de tensão que rodeou esta cura. Deixa que as atitudes de Jesus te falem nas tuas circunstâncias e te desinstalem. 

 

Colóquio final

Ao terminares este tempo de oração, pede ao Senhor um coração mais compassivo, mais capaz de ver, acolher e agir perante a realidade que te rodeia, com as suas dificuldades, tragédias e injustiças. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.