Segunda-feira, festa litúrgica de Santa Catarina de Sena.

Hoje é dia vinte e nove de abril, segunda-feira, festa litúrgica de Santa Catarina de Sena.

O tempo pascal permite ir percebendo que somos um povo de gente salva pelo Senhor ressuscitado. Infelizmente, esta palavra – salvação – já não faz sentido para muita gente. É gente que não se sente salva e, mais ainda, gente que não sente necessidade de ser salva. Durante alguns momentos, olha bem dentro de ti e deixa que o Espírito Santo te ilumine, para reconheceres a salvação que o Senhor te oferece e a necessidade que tens desta salvação. E começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 11, 25-30]

Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi dado por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».

Catarina de Sena, que a Igreja hoje celebra, era uma mulher pobre e humilde. Apesar disso, num tempo de grande desordem no interior da Igreja, ouviu um chamamento que a todos parecia impossível: o de fazer com que o Papa voltasse de Avinhão para Roma. E conseguiu. Agora pensa bem como a história da Igreja te pode ensinar a amá-la e a obedecer-lhe, mesmo no meio das tribulações! Como encaras, hoje, as tensões e até ataques ao Papa Francisco?

No Evangelho, Jesus agradece ao Pai os pequeninos, os humildes, porque podem entender com o coração e são capazes de ultrapassar as grandes questões. Pede a graça de estar do lado deles.

Ouvindo de novo o Evangelho, põe-te a rezar com Cristo que chama para Si os que andam cansados e oprimidos, para os aliviar.

Termina a tua oração repetindo: Eu te bendigo, Pai! No teu Filho encontrarei descanso!

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.