Segunda-feira, memória de São Nuno de Santa Maria

Hoje é dia seis de novembro, segunda-feira, memória de São Nuno de Santa Maria.

O que conduz um herói militar e líder do reino
a terminar os seus dias pedindo esmolas porta a porta?
Não bastou a Nuno de Santa Maria
a dedicação de igrejas, as obras de assistência e caridade
ou a edificação de uma vida honrada ao serviço do seu país:
foi preciso despojar-se de tudo, de propriedades, títulos e honras
para abraçar Aquele que vivia nas suas feridas
e nas feridas daqueles que batiam à sua porta.
Que a oração seja para ti a abertura aos apelos do Espírito,
hoje e todos os dias da tua vida.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 14, 12-14]

Disse Jesus a um dos principais fariseus,
que O tinha convidado para uma refeição:
«Quando ofereceres um almoço ou um jantar,
não convides os teus amigos nem os teus irmãos,
nem os teus parentes nem os teus vizinhos ricos,
não seja que eles por sua vez te convidem
e assim serás retribuído.
Mas quando ofereceres um banquete,
convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos;
e serás feliz por eles não terem com que retribuir-te:
ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos». 

 

Pontos de oração

“Convida os pobres”. 
Jesus almoça em casa de um homem rico. O seu modo de proceder não exclui ninguém; prefere os mais abandonados. 
Para ti, preferir significa excluir? Então desprezas o Senhor, não convidas os pobres. 

Os coxos, cegos, aleijados… estão em tua casa, no trabalho, na rua. Olhas para eles? Muitas vezes não mostram que precisam de ti. Deus esconde-Se nas feridas dos outros. Se não pedes entranhas de misericórdia, não O vês.

Quando alguém se coloca no centro das atenções, faz reverter para si os aplausos. Deixa Jesus desenredar o novelo do teu coração. 
Quem não gosta de ser feliz? Entrega nas mãos do Senhor a tua fome de recompensa.

 

Colóquio final

Termina esta oração pedindo ao Senhor que te ensine a não passares ao lado de quem sofre, a ofereceres o banquete da amizade, a refeição da ternura.
E que, em troca, O possas receber no teu coração.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.