Segunda-feira, memória litúrgica de Santa Águeda

Hoje é dia cinco de fevereiro, segunda-feira, memória litúrgica de Santa Águeda.

O caminho da oração e da busca espiritual
é também o exercício de uma razão orante, afetiva,
capaz de libertar a nossa mente e o nosso corpo
das inquietações, ressentimentos e angústias.
Na tua oração, não deixes de nutrir
o teu espírito e os teus pensamentos
com a mentalidade de Cristo, o Homem Novo,
através da escuta de uma Palavra de Vida.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Mc 6, 53-56]

Jesus e os seus discípulos fizeram a travessia do lago
e vieram para terra em Genesaré, onde aportaram.
Quando saíram do barco,
as pessoas reconheceram logo Jesus;
então percorreram toda aquela região
e começaram a trazer os doentes nos catres,
para onde ouviam dizer que Ele estava.
Nas aldeias, cidades ou casais onde Jesus entrasse,
colocavam os enfermos nas praças públicas
e pediam que os deixasse
tocar-Lhe ao menos na orla do manto.
E todos os que O tocavam ficavam curados. 

 

Um dos aspetos que ressalta neste Evangelho é o facto de as pessoas reconhecerem logo a Jesus. 
Se fizesses parte desta cena, o que te levaria a reconhecer Jesus? O seu rosto? A estatura? Os seus gestos? 

Ao reconhecerem a Jesus, as pessoas trazem-Lhe os seus doentes, os seus problemas… Põe-te no lugar dos discípulos: o que vês? O que pensas de tudo isto? 

Escuta de novo o Evangelho e repara que as pessoas traziam até Jesus os doentes, pedindo-Lhe que Ele lhes tocasse e os curasse. Imagina como seria o mundo, se todos os que precisam tivessem alguém que se preocupasse consigo. 

No fim da tua oração, põe-te diante de Jesus e apresenta-Lhe, tu também, as doenças e problemas, teus ou de alguém que conheças. 

 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.