Segunda-feira, memória litúrgica de Santo Inácio de Antioquia

Hoje é dia dezassete de outubro, segunda-feira da vigésima nona semana do tempo comum, memória litúrgica de Santo Inácio de Antioquia.

Hoje, a Igreja celebra a memória de Santo Inácio de Antioquia.
Inácio foi bispo da cidade de Antioquia, na atual Turquia, 
e morreu mártir em Roma, pelo ano 107. 
As suas cartas, 
escritas durante a viagem para Roma, como prisioneiro, 
dão testemunho de um grande amor à Igreja, aos cristãos e a Cristo.
E quando os cristãos de Roma se organizam para tentar conseguir a sua libertação,
Inácio implora-lhes que o deixem seguir o caminho do martírio até ao fim,
de modo a ser grão de trigo que morre para dar vida.
Na tua oração, 
procura ter presentes aqueles que, hoje, dão a vida por Cristo, 
aqueles que são mortos por ousarem acreditar no Evangelho. 
Na sua companhia, começa a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 12, 13-21]

Alguém, do meio da multidão, disse a Jesus:
«Mestre, diz a meu irmão que reparta a herança comigo».
Jesus respondeu-lhe:
«Amigo, quem Me fez juiz ou árbitro das vossas partilhas?».
Depois disse aos presentes:
«Vede bem, guardai-vos de toda a avareza:
a vida de uma pessoa não depende da abundância dos seus bens».
E disse-lhes esta parábola:
«O campo dum homem rico tinha produzido excelente colheita.
Ele pensou consigo:
‘Que hei de fazer,
pois não tenho onde guardar a minha colheita?
Vou fazer assim:
Deitarei abaixo os meus celeiros para construir outros maiores,
onde guardarei todo o meu trigo e os meus bens.
Então poderei dizer a mim mesmo:
Minha alma, tens muitos bens em depósito para longos anos.
Descansa, come, bebe, regala-te’.
Mas Deus respondeu-lhe:
‘Insensato! Esta noite terás de entregar a tua alma.
O que preparaste, para quem será?’
Assim acontece a quem acumula para si,
em vez de se tornar rico aos olhos de Deus». 

 

Pontos de oração

Jesus diz aos seus ouvintes que a vida de uma pessoa não depende da abundância dos seus bens. Na sociedade atual, porém, é difícil não ser consumista. Claro que cada um sabe de si, mas quantos telemóveis já compraste/pediste sem precisares verdadeiramente mas apenas porque tinham mais umas funcionalidades?

É costume dizer-se: «o dinheiro não dá a felicidade, mas ajuda muito». Muitos de nós sentimos isso. 
Pede a Jesus que seja Ele a trazer-te a felicidade. 

Escuta de novo o Evangelho. Imagina a tristeza de Jesus ao ver as pessoas desviadas de Deus por causa do dinheiro. (Repara que no texto Jesus não aparece zangado.)

 

Colóquio final

No final desta oração, fala com Jesus sobre a tua relação com os bens materiais. Por exemplo, da tua relação com os novos telemóveis e computadores que vão saindo, as roupas da moda, tantas coisas que podem armadilhar a tua vida.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.