Segunda-feira, memória litúrgica de São Bonifácio

Hoje é dia cinco de junho, segunda-feira, memória litúrgica de São Bonifácio.

A liturgia regressa ao tempo comum, 
à memória e celebração da vida de Jesus e da vida da Igreja,
tecida nos passos e palavras do quotidiano.
Depois das celebrações do Tempo Pascal,
fica a certeza de que os nossos dias
caminham para uma plenitude.
Hoje, agradece ao Senhor
os trabalhos, alegrias e esperanças
de cada hora da tua vida;
e pede-Lhe a força e a perseverança
para nessas horas construíres o que permanece.
Começa assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Mc 12, 1-12]

Jesus começou a falar em parábolas
aos príncipes dos sacerdotes, aos escribas e aos anciãos:
«Um homem plantou uma vinha.
Cercou-a com uma sebe, construiu um lagar e ergueu uma torre.
Depois arrendou-a a uns vinhateiros e partiu para longe.
Quando chegou o tempo,
enviou um servo aos vinhateiros
para receber deles uma parte dos frutos da vinha.
Os vinhateiros apoderaram-se do servo,
espancaram-no e mandaram-no sem nada.
Enviou-lhes de novo outro servo.
Também lhe bateram na cabeça e insultaram-no.
Enviou-lhes ainda outro, que eles mataram.
Enviou-lhes muitos mais e eles espancaram uns e mataram outros.
O homem tinha ainda alguém para enviar: o seu querido filho;
e enviou-o por último, dizendo consigo:
«Respeitarão o meu filho».
Mas aqueles vinhateiros disseram entre si:
«Este é o herdeiro. Vamos matá-lo e a herança será nossa».
Apoderaram-se dele, mataram-no e lançaram-no fora da vinha.
Que fará então o dono da vinha?
Virá ele próprio para exterminar os vinhateiros
e entregará a outros a sua vinha.
Não lestes esta passagem da Escritura:
‘A pedra rejeitada pelos construtores tornou-se pedra angular.
Isto veio do Senhor e é admirável aos nossos olhos’?».
Procuraram então prender Jesus,
pois compreenderam que tinha dito para eles a parábola.
Mas tiveram receio da multidão
e por isso deixaram-No e foram-se embora. 

 

Pontos de oração

O Evangelho de hoje descreve uma parte do conflito entre Jesus e as autoridades religiosas judaicas. Através da história contada por Jesus, uma coisa ficou clara: a sua autoridade vem-Lhe pelo facto de ser Filho de Deus e herdeiro. É uma autoridade de serviço, contrária ao abuso de poder dos chefes do povo, que não cuidam desse povo.
Estás do lado de Jesus?

A parábola da vinha é um resumo da história de Deus com o povo de Israel. O Senhor ama o seu povo. Entrega-o ao cuidado de administradores cuja missão é orientar o povo para Deus. Mas eles buscam os próprios interesses. Deus não desiste. Envia muitos mensageiros que são rejeitados. Por fim, envia o seu Filho, Jesus. 
Sentes-te a fazer parte desta história de amor? 

Ao ouvires de novo esta passagem do Evangelho, fixa-te nas palavras de Jesus: «A pedra rejeitada pelos construtores tornou-se pedra angular». 
A pedra angular segura toda a construção. Jesus é a pedra angular de cada um de nós. 

 

Colóquio final

Deus precisa de colaboradores para trabalhar na sua vinha. Pede a Jesus a graça de estares mais disponível para colaborar nessa vinha.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.