Segunda-feira, memória litúrgica de São Maximiliano Kolbe

Hoje é dia catorze de agosto, segunda-feira, memória litúrgica de São Maximiliano Kolbe.

Hoje, a Igreja celebra a memória de São Maximiliano Kolbe: prisioneiro de Auschwitz, Kolbe ofereceu-se aos algozes para substituir um companheiro de prisão condenado à morte, transformando o seu ministério num holocausto de caridade e exemplo de fidelidade a Deus e aos homens.
Ao começar a tua oração, pede para ti este dom de amor oblativo próprio de Deus, capaz de dar a vida para salvar o outro.
Vale a pena começares assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 15, 12-16]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«É este o meu mandamento:
que vos ameis uns aos outros, como Eu vos amei.
Ninguém tem maior amor
do que aquele que dá a vida pelos amigos.
Vós sois meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando.
Já não vos chamo servos,
porque o servo não sabe o que faz o seu senhor;
mas chamo-vos amigos,
porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi a meu Pai.
Não fostes vós que Me escolhestes;
fui Eu que vos escolhi e destinei,
para que vades e deis fruto
e o vosso fruto permaneça.
E assim, tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome,
Ele vo-lo concederá».

 

Pontos de oração

A amizade com Deus implica a fidelidade àquilo que o Senhor te pede, e o que Ele te pede é amor. É o mendigo do teu amor. Ele mostrou-te como te ama e como quer ser amado por ti do alto da Cruz. Ele próprio disse: «Ninguém me tira a vida, mas sou Eu que a dou». 
Como podes dar, hoje, a tua vida ao Senhor, para lhe mostrares quanto O amas? 

O mártir que hoje celebramos trocou a sua vida para que outro pudesse viver. Não o conhecia, mas deu a sua vida por ele. É este amor que Jesus te pede: que olhes para o lado, hoje, e vejas onde podes dar a vida para que o outro possa viver, ou seja, onde podes dar destaque ao outro para que ele possa brilhar mais do que tu. 

Escuta novamente a leitura do Evangelho e agradece ao Senhor a sua amizade, capaz de dar tudo por ti. Pede-Lhe a graça de imitares o seu gesto. 

 

Colóquio final

Ao terminares a tua oração, agradece a Deus por todos aqueles que têm a coragem de dar a vida pelos outros e de dar a vida aos outros, através de um gesto de carinho. Interroga-te: que posso eu fazer para que o outro se sinta importante e amado? 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.