Segunda-feira, memória litúrgica dos Santos Paulo Miki e Companheiros, mártires

Hoje é dia seis de fevereiro, segunda-feira, memória litúrgica dos Santos Paulo Miki e Companheiros, mártires.

A oração é o movimento de alguém
que se descobre indigente, ferido, peregrino.
É expressão da fragilidade, da busca, 
do desejo de um encontro.
É a linguagem do amor.
Na tua oração, procura tocar o Mistério na orla do seu manto,
nem que seja apenas com a ponta dos dedos.
Se unicamente encontrares o silêncio,
não desanimes: será o melhor sinal
de que o Senhor te rodeia e te envolve.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Mc 6, 53-56]

Jesus e os seus discípulos fizeram a travessia do lago
e vieram para terra em Genesaré, onde aportaram.
Quando saíram do barco,
as pessoas reconheceram logo Jesus;
então percorreram toda aquela região
e começaram a trazer os doentes nos catres,
para onde ouviam dizer que Ele estava.
Nas aldeias, cidades ou casas onde Jesus entrasse,
colocavam os enfermos nas praças públicas
e pediam que os deixasse tocar-Lhe ao menos na orla do manto.
E todos os que O tocavam ficavam curados. 

 

Pontos de oração

Quanto mais Jesus era conhecido, mais as pessoas corriam ao seu encontro. Vindas de todas as partes, iam até Jesus com o desejo de se encontrarem com Ele, mas sobretudo para serem curadas das doenças. 
O que te faz correr até Jesus? Como te transformas na sua companhia? 

Desde o início da atividade apostólica, Jesus vai pelas vilas e aldeias da Galileia a falar do Reino de Deus. Por onde passa, encontra quem O quer ouvir, transmite a Boa-Nova, cura os doentes. Ensinar e curar, era o que Jesus fazia! 
Acolhes o ensinamento de Jesus? Deixas-te curar por Ele? 

Jesus não fala apenas de Deus, mas revela-O em gestos concretos. Comunica aquilo que vive e experimenta no dia a dia. Em Jesus manifesta-Se o que acontece quando deixamos que Deus participe da nossa vida. 
Na repetição da leitura do Evangelho, deixa-te contagiar pela vida de Jesus. 

 

Colóquio final

É preciso testemunhar com a vida o encontro com Jesus. De nada valem as palavras se não se traduzem em gestos concretos. 
Enquanto terminas este momento de oração, pensa no testemunho cristão que hoje queres dar na família, nos estudos ou no trabalho. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.