Sexta-feira da décima primeira semana do Tempo Comum

Hoje é dia dezassete de junho, sexta-feira da décima primeira semana do Tempo Comum. 

O Amor paterno de Deus é a fonte e a razão de toda a esperança. Esta não é uma espécie de consolação pensando em dias melhores, mas a certeza de que não estamos sozinhos... nunca estamos sozinhos. 
Hoje, aqui e agora, neste mesmo instante, podes reconhecer o Amor de Deus por ti. Deixa-te invadir por esta certeza de que Ele está contigo. Pede-Lhe que te ajude a reconhecer a sua presença em ti. Assim, vale a pena começares a tua oração. 

 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 6, 19-23]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Não acumuleis tesouros na terra,
onde a traça e a ferrugem os destroem
e os ladrões os assaltam e roubam. 
Acumulai tesouros no Céu,
onde a traça e a ferrugem não os destroem
e os ladrões não os assaltam nem roubam. 
Porque onde estiver o teu tesouro,
aí estará o teu coração.
A lâmpada do teu corpo são os olhos.
Se o teu olhar for límpido,
todo o teu corpo  ficará iluminado.
Mas se o teu olhar for mau,
todo o teu corpo andará nas trevas.
E se a luz que há em ti são trevas,
como serão grandes essas trevas!».

 

Pontos de oração

Uma preocupação frequente de tanta gente é poder vir a perder algo que é precioso para si – uma pessoa, uma situação, o emprego, uma relação, uma joia, a casa… Esses são os tesouros que temos na terra. Quais são os teus tesouros?

Repara que os tesouros que temos na terra são passageiros e, mais cedo ou mais tarde, poderão desaparecer da tua vida. É a isso que queres entregar o teu coração, a tua força e alegria? Imagina que perdes alguma dessas coisas. Que efeito teria em ti? 

O modo como olhas para as coisas à tua volta determina a tua relação com elas. Se as vires como essenciais para a tua felicidade, ficas dependente delas. Se as vires como coisas boas que te ajudam a viver melhor, mas que não são o centro da tua vida, então a tua vida será mais livre e luminosa. 

 

Colóquio final

Responde a Jesus e fala-Lhe dos teus tesouros e da tua relação com eles. Pede-Lhe luz para conhecê-los e para  lhes dar o verdadeiro valor, nem mais nem menos do que aquilo que valem. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.