Sexta-feira da décima quarta semana do tempo comum

Hoje é dia doze de julho, sexta-feira da décima quarta semana do tempo comum.

Começa devagar, dando tempo ao silêncio interior para se instalar em ti e crescer. Onde estás é onde Deus quer estar contigo. Mas precisas de te dispor a acolhê-Lo e, para isso, precisas do silêncio interior. Devagar, põe de lado a torrente de pensamentos que te ocupa, e reza em silêncio: “Bendito sejas, Senhor, meu Deus”. Vai repetindo este louvor, fazendo dele a referência destes momentos... e começa assim a tua oração

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 10, 16-23]

Jesus disse aos seus apóstolos: «Envio-vos como ovelhas para o meio de lobos. Portanto, sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas. Tende cuidado com os homens: hão de entregar-vos aos tribunais e açoitar-vos nas sinagogas. Por minha causa, sereis levados à presença de governadores e reis, para dar testemunho diante deles e das nações. Quando vos entregarem, não vos preocupeis em saber como falar nem com o que dizer, porque nessa altura vos será sugerido o que deveis dizer; porque não sereis vós a falar, mas é o Espírito do vosso Pai que falará em vós. O irmão entregará à morte o irmão e o pai entregará o filho. Os filhos hão de erguer-se contra os pais e causar-lhes a morte. E sereis odiados por todos por causa do meu nome. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo. Quando vos perseguirem numa cidade, fugi para outra. Em verdade vos digo: não acabareis de percorrer as cidades de Israel, antes de vir o Filho do homem».

Neste texto do Evangelho, Jesus é muito claro ao afirmar que os seus discípulos são ovelhas enviadas para o meio dos lobos. E dá vários conselhos: ser prudentes, simples, fortes nas perseguições – porque haverá sempre perseguições. Assumes estes conselhos e procuras seguir Jesus de um modo determinado? Como vais fazer?

Quando te convida a segui-Lo, Jesus não te propõe algo fácil, cómodo, com compensações mundanas, títulos honoríficos... Segui-Lo é tomar a cruz cada dia. E a cruz pode ser a incompreensão, a calúnia, a crítica mordaz, o sofrimento que te virá da luta que tens de travar pela santidade. Tens de te preparar para a luta, recorrendo à oração. Jesus está sempre contigo. Entrega-te.

Vais ouvir de novo o Evangelho. Escuta-o com o coração simples e aberto à conversão.

Pede a Jesus a graça de viver n'Ele, com Ele, na alegria e na dor, no gáudio e na cruz de cada dia.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.