Sexta-feira da décima semana do tempo comum

Hoje é dia catorze de junho, sexta-feira da décima semana do tempo comum.

Ser alegre..., ser agradecido..., eis duas características tantas vezes esquecidas na vida dos cristãos. É mais fácil cultivar a tristeza que torna tudo cinzento e lamentar-se de tudo, de todos e até de Deus. Hoje, pede ao Senhor o dom da alegria e cultiva a gratidão. E se já te sentes assim, mais uma razão para agradeceres e deixares que a tua alegria contagie quantos vivem contigo. Partilha um sorriso, mesmo que seja com Deus... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem da segunda carta de São Paulo aos Coríntios. [L1 2 Cor 4, 7-15]

Nós trazemos em vasos de barro o tesouro do nosso ministério, para que se reconheça que um poder tão sublime vem de Deus e não de nós. Em tudo somos oprimidos, mas não esmagados; andamos perplexos, mas não desesperados; perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não aniquilados. Levamos sempre e em toda a parte no nosso corpo os sofrimentos da morte de Jesus, a fim de que se manifeste também no nosso corpo a vida de Jesus. Porque, estando ainda vivos, somos constantemente entregues à morte por causa de Jesus, para que se manifeste também na nossa carne mortal a vida de Jesus.

Paulo fala aos cristãos de Corinto do drama que todos vivemos, drama que resulta da tensão entre a morte e a vida. Toda a fragilidade, toda a dor, por mais pequena, tem um certo sabor a morte. Quais as fragilidades ou dificuldades mais presentes neste momento da tua vida?

No meio das dificuldades e fragilidades que compõem o vaso de barro de que Paulo fala, o tesouro da palavra de Deus e a fé em Jesus podem ser afetados. O que acontece contigo? Que efeito têm as adversidades na tua fé?

Ouve outra vez Paulo. O facto de a vida continuar significa que nenhuma dificuldade contradiz a vida de Jesus e a vida que nos prometeu pela ressurreição.

Ao concluir a tua oração, põe-te diante de Jesus e fala com Ele sobre as fragilidades que sentes. Lembra-te das dificuldades por que Jesus passou também. Pede-Lhe que te dê ânimo e força para conservares inteiro o tesouro da tua fé n'Ele.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.